AM é o Estado com pior índice de inclusão de criança deficiente na escola

Os dados constam do último relatório do 2º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação (PNE), divulgado nesta quinta (7), pelo Inep e referente ao ano de 2010

Da Redação

Manaus – No Brasil, o Estado com maior número de crianças e adolescentes fora da escola é o Amazonas. Isso foi o que apontou o relatório do 2º Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação (PNE), divulgado nesta quinta-feira (7), pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

No Amazonas, em 2010, quase um quarto dos alunos (24,5%) estava fora da sala de aula, contra 75,5% dos que estavam matriculados. (Foto: Ricardo Oliveira)

Enquanto o percentual de matrículas de pessoas com deficiência na educação básica, entre o Distrito Federal foi 90,4% no período da pesquisa, em 2010, o Amazonas tinha quase um quarto dos alunos nessa condição fora da sala de aula, 75,5% dos estudantes tinham acesso à educação, segundo a pesquisa.

Seguido do Amazonas no ranking dos piores resultado, o segundo lugar ficou para o Piauí, que tinha 23,3% dos estudantes com deficiência sem estudar no mesmo período. Mais outro Estado do Norte: o Acre, também figurou entre os piores resultados conforme o relatório 22,3% das pessoas não tinham acesso à educação básica.

De acordo com o censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em todo o País, foram contabilizados mais de um milhão de crianças e adolescentes de 4 a 17 anos com deficiência. Desses 82,5% (897.116) frequentavam a escola ou creche. A disparidade do percentual do Estado com o do Brasil foi de sete pontos percentuais. No período da pesquisa, em números absolutos, mais de 6.304 estudantes no Estado não iam para a escola.