AM tem R$ 4,1 mi para combate a malária; repasse foi autorizado pelo MS

Manaus e outros 15 municípios vão receber o aporte do governo federal para intensificar as ações de controle da doença. O maior número de casos estão na região do Alto Rio Negro

Beatriz Gomes

Manaus – Para o combate da malária no Amazonas, o Ministério da Saúde (MS) autorizou o repasse de R$ 4,1 milhões para o Estado, de acordo com a Portaria 1.958 de 28 de junho de 2018, publicada no Diário Oficial da União (DOU) de ontem. Além da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Manaus e outros 15 municípios vão receber o aporte do governo federal para intensificar as ações de controle da doença.

Este ano foram já registrados 32,5 mil casos de malária, 40% do total de todo o ano passado. (Foto: Divulgação/Inpa)

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), no primeiro semestre de 2018 (até 21 de junho), foram registrados 32,5 mil casos de malária, 40% do total de todo o ano passado. Em 2017, foram 81,3 mil registros, 65% a mais do que no ano anterior.

O maior número de casos estão entre os municípios do Alto Rio Negro, onde o Governo do Estado, por meio da Defesa Civil, decretou, no último dia 18 de junho, situação de emergência, por conta da doença na região.

Para a Susam serão destinados R$ 1,24 milhão, enquanto Manaus receberá R$ 1 milhão. Entre os municípios do interior, Coari (a 363 quilômetros a oeste de Manaus) receberá o maior valor, R$ 343,5 mil, seguido de Itacoatiara (a 176 quilômetros a leste) com R$ 278,3 mil e São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros a noroeste) que terá R$ 207,5 mil.

Barcelos (R$ 173,1 mil), Santa Isabel do Rio Negro (R$ 128,4 mil), Carauari (R$ 59,2 mil), Guajará (R$ 34,1 mil, Lábrea (R$ 97,2 mil), Presidente Figueiredo (R$ 173,4 mil), Tefé (R$ 133,5 mil), Atalaia do Norte (R$ 63,3 mil), Ipixuna (R$ 39,4 mil), Tapauá (46,6 mil), Alvarães (R$ 50,2 mil) e Rio Preto da Eva (114,7 mil) estão entre os outros municípios que também serão beneficiados com os repasses do Ministério.

Segundo a FVS, com 11,7 mil notificações, São Gabriel da Cachoeira, Barcelos e Santa Isabel do Rio Negro são responsáveis por 53% dos registros de malária no interior, este ano. São Gabriel da Cachoeira é o município com o maior número de casos (7.980), seguido por Manaus, com 3.836. Barcelos registrou 2.208 e Santa Isabel 1.577. Uma das preocupações é com o crescimento, no Alto Rio Negro, da malária P. falciparum, o tipo letal da doença. De acordo com a Susam, os repasses servirão para a compra de insumos e de equipamentos para intensificar as ações locais, como mosquiteiros impregnados, para distribuir entre a população ribeirinha. Os municípios também estão viabilizando a contratação de pessoal de vigilância.

Os repasses serão feitos do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos Estaduais e Municipais de Saúde do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia e Roraima, somando R$ 10,3 milhões.