Conselho de comandantes de PMs se solidariza com coronel tratado com apelido chulo

O Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares se solidarizou com o Coronel David De Souza Brandão que foi tratado com apelido chulo em documento do MP-AM

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil emitiu nota para se solidarizar com o Comandante Geral da Polícia Militar do Amazonas, Coronel David De Souza Brandão, sobre o episódio em que ele foi tratado com apelido chulo em documento redigido pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM).

A Procuradoria-Geral de Justiça do MP-AM informou que vai responsabilizar quem digitou, com “erro grosseiro”, a Portaria N° 002/2018, publicada no Diário Oficial Eletrônico da Instituição (Dompe) no último dia 4 de junho, se referindo ao comandante. A REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) apurou que o coronel foi chamado de “Pau Mole”, porém o documento foi retirado do site do MPE, nesta terça-feira (5).

“O Conselho Nacional de Comandantes Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil se solidariza com o CEL QOPM DAVID DE SOUZA BRANDÃO, Comandante Geral da Polícia Militar do Estado do Amazonas e repudia o lamentável fato ocorrido, no dia 04 de junho de 2018, por conta da publicação da portaria N° 002/2018, publicada no Diário Oficial Eletrônico da Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Amazonas, em que utilizou-se de termo desrespeitoso ao referir-se ao Comandante da PMAM”, diz a nota.

O Conselho Nacional de Comandantes Gerais informou que segue confiante “que o fato outrora citado será apurado com rigor e que os responsáveis serão sancionados na forma da lei, a fim de reparar os graves danos causados à imagem do nosso comandante e da Polícia Militar da PMAM”, completa o texto. Conforme nota divulgada pela assessoria de imprensa do MP-AM, a portaria foi digitada com erro grosseiro e ofensivo quando se refere ao comandante da PM, coronel David Brandão.

A portaria pede a abertura de um inquérito civil para apurar a falta de viaturas da PM, em Japurá (a 744 quilômetros a noroeste de Manaus), e que o coronel David Brandão tome ciência e providencie uma viatura ao município, onde os policiais estariam fazendo patrulhamento apenas com motocicletas, e levando presos para a delegacia do município no veículo do Conselho Tutelar ou motocicleta particular com uso de carroça acondicionada.

O MP justificou que as portarias referentes a procedimentos ou atos das Promotorias de Justiça do interior do Estado e da capital inseridas no Dompe são enviadas para a Procuradoria-Geral já com o conteúdo editado para publicação. “Assim que o erro foi identificado, a Procuradoria-Geral de Justiça corrigiu a publicação e determinou a apuração do fato, a fim de que tamanha falha seja devidamente responsabilizada”, diz trecho da nota.

Por meio de nota, o Comandante-Geral da Polícia Militar, Coronel David Brandão, informa que está “estudando todas as medidas judiciais cabíveis a serem adotadas, tanto no campo pessoal, quanto institucional”.