Disque 181 recebe quase 1,5 mil denúncias em menos de seis meses; serviço passa a funcionar 24 horas

Nos quatro primeiros meses deste ano, o número de denúncias por telefone teve um aumento de 44%, segundo dados da Seai. Até abril, foram 1.441 registros e o serviço terá horário ampliado

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) ampliou o horário de atendimento do 181, o Disque-Denúncia, que passou a funcionar em regime de 24 horas. Até meados de maio, o serviço coordenado pela Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai) funcionava de 7h30 até às 22h. Até abril, foram 1.441 registros, um aumento de 71% na comparação com igual período de 2017.

Nos quatro primeiros meses deste ano, o número de denúncias por telefone teve um aumento de 44%, de acordo com dados da Seai. “Quem quiser fazer a denúncia, pode ter absoluta tranquilidade, pois garantimos o pleno sigilo”, afirmou o Secretário de Inteligência, Herbert Ferreira Lopes. As denúncias relativas ao tráfico de entorpecentes são as de maior número, representando, em 2018, sete de cada dez ligações feitas.

De acordo com a delegada Marília Campello, coordenadora do Laboratório de Lavagem de Dinheiro da Seai, o tráfico de drogas é o mais denunciado porque a população se sente intimidada com a presença dos bandidos nas proximidades das suas casas. “A população está mais confiante no trabalho da polícia e no serviço do 181”, afirmou.

Ainda segundo a delegada, as denúncias feitas pela população colaboram com o trabalho da Polícia de mapear os locais mais críticos, auxiliando a análise dos dados criminais e nos trabalhos de prevenção aos crimes. “Onde o número de denúncias é mais intenso, o policiamento se torna mais ostensivo”, afirmou Marília Campello. Segundo ela, todas as denúncias são lidas e encaminhadas para as Polícias Civil e Militar e demais órgãos de segurança, quando necessário.

Foragidos

O segundo maior número de denúncias está relacionado aos foragidos, com 249 ligações entre janeiro e abril de 2018. Comparando com o mesmo período do ano passado, houve uma diminuição de 50% nestas denúncias. Em 2017, a média de denúncias foi influenciada pelas fugas ocorridas no Sistema Penitenciário estadual, em janeiro.