Amazonas adere ao Programa Saúde na Escola que levará serviços aos estudantes

Crianças e adolescentes terão acesso, dentro das escolas, aos serviços básicos de tratamento e prevenção de saúde. Gerente de Programas da Seduc diz que a secretaria será responsável pelo projeto

Girlene Medeiros/Redacao@diarioam.com.br

Foto: Divulgacao/Seduc

Manaus – O Amazonas aderiu ao novo edital do Programa Saúde na Escola (PSE), do governo federal, voltado a ações de promoção à saúde, como prevenção à obesidade, cuidados com a saúde bucal, auditiva e ocular, combate ao mosquito Aedes aegypti, além de incentivo à atividade física e prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), segundo confirmou a Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc-AM). O Ministério da Saúde informou que destinará R$ 89 milhões por ano para o novo edital do PSE que está aberto para adesões dos Estados brasileiros até o próximo dia 14 de junho.

Pelo PSE, crianças e adolescentes terão acesso, dentro das escolas, aos serviços básicos de tratamento e prevenção de saúde. A titular da Gerência de Programas, Projetos e Atendimento ao Escolar (Geppae), da Seduc, Adriana Boh Santos, informou que a ação é intersetorial e integra, principalmente, as áreas de saúde e educação. De acordo com a gerente, a Seduc é responsável pela coordenação do programa no Estado por meio do contato com as secretarias municipais de saúde das cidades que vão participar do programa.

A quantidade de escolas e municípios que vão participar do novo edital PSE está sendo decida entre funcionários da Seduc. “Algumas das ações de saúde, voltadas para os estudantes, são realizadas nas Unidades Básicas de Saúde mais próximas das escolas participantes do programa”, disse Adriana.

Ainda de acordo com a gerente do Geppae, o programa vai ser fundamental para crianças e adolescentes que carecem dos serviços na capital e em municípios do interior do Estado. “(Ao menos), 333 só no tratamento, mas também na prevenção de doenças”, afirmou Adriana, citando atividades de prevenção a doenças, como obesidade infantil, além da distribuição de vacinas e mutirões de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika.

Saúde na Escola

Conforme o Ministério da Saúde, o PSE inclui atividades, como a identificação de sinais de doenças em eliminação, como hanseníase, tuberculose, tracoma e esquistossomose; prevenção ao uso de álcool, tabaco, crack e outras drogas; promoção da atividade física; prevenção de DST/aids e orientação sobre direito sexual e reprodutivo e promoção da cultura de paz, cidadania e direitos humanos.

Criado em 2007 pelo governo federal, conforme o Ministério da Saúde, o PSE prevê ações para acompanhar as condições de saúde dos estudantes por meio de avaliações e orientação, fortalecendo o enfrentamento das vulnerabilidades que possam comprometer o pleno desenvolvimento escolar.