Espelhos da correção das redações do Enem estão disponíveis; veja

Candidato deve acessar a página do participante; segundo Inep, objetivo da divulgação é permitir que estudante compreenda o seu desempenho

Estadão / Diário do Amazonas

Foto: Rafael Arbex/Estadão

São Paulo –  O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) liberou na manhã desta terça-feira, 11, o acesso ao espelho da correção das redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para ver o desempenho no texto, os candidatos devem entrar na página do participante e inserir o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e a senha.

O Inep informou que o acesso ao espelho é disponibilizado “aos poucos” aos candidatos e que por isso pode levar até duas horas para todos estarem no ar. No ano passado, cerca de 6 milhões dos 8,6 milhões de inscritos participaram da prova.

Segundo o instituto, o acesso ao espelho de correção é “exclusivamente para vista pedagógica da redação” e tem o objetivo de permitir ao estudante compreender o seu desempenho e compará-lo com os demais.

Além da nota, é apresentada a descrição do nível que o participante atingiu em cada competência, indicando as características das redações alinhadas aos critérios de correção.

Temas

O tema da redação da edição regular do Enem 2016, realizada em 6 de novembro, foi “Caminhos para combater a intolerância no Brasil”. Em função de ocupações estudantis em locais de prova, o exame foi aplicado novamente. O tema da redação proposta em 4 de dezembro foi “Caminhos para combater o racismo no Brasil”.

De acordo com o Inep, o desempenho é avaliado de acordo com os seguintes critérios:

1. Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.

2. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

4. Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

5. Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

As redações do Enem são avaliadas por dois corretores independentes, que atribuem uma nota de zero a 200 pontos para cada competência. Uma terceira correção é feita em caso de discrepância maior do que 100 pontos na soma total das competências ou maior do que 80 pontos em uma ou mais competências.

O Inep explicou que, caso a discrepância persista, o texto é encaminhado a uma banca especial, formada por três membros, responsável por atribuir a nota final.

Mudanças

Nesta segunda-feira, 10, foi publicado no Diário Oficial da União o edital da edição 2017 do Enem. Entre as principais mudanças, está o aumento no custo da inscrição, que passa de R$ 68 para R$ 82, o que representa um crescimento de 20%, e a aplicação da prova em dois domingos consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro, o que já havia sido anunciado em março.

Comentários via Facebook