Manaus é a 5ª capital do País em verba da educação

Investimento do município colocou a capital do Amazonas atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba. Manaus também é a segunda no ranking da Região Norte

Asafe Augusto / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Manaus foi a segunda capital do Norte e a quinta do Brasil que mais aumentou o investimento em educação, em 2017. É o que apontam os dados que foram divulgados pelo anuário Multi Cidades – Finanças dos Municípios do Brasil, da Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

Na Região Norte a capital do Amazonas fica atrás apenas de Boa Vista que aumentou os investimentos em 18,2% em 2017, saindo de R$ 275,7 milhões investidos contra os R$ 233,4 milhões em 2016.

No Norte, Manaus fica atrás apenas de Boa Vista (Foto: Divulgação)

No cenário nacional, Manaus com aumento de investimento de 5,9%, representando mais de R$ 1,219 bilhão, fica atrás de São Paulo (R$ 10,7 bilhões), Rio de Janeiro (R$ 4,2 bilhões), Belo Horizonte (R$ 1,5 bilhão) e Curitiba (R$ 1,2 bilhão).

A região aumentou, ao todo, seus investimentos em R$ 13,3 bilhões, representando 2%, e mesmo assim figurando como o maior percentual de crescimento do País.

Boa Vista teve o maior crescimento percentual entre todas as capitais quando o assunto é investimento em educação. A administração municipal aumentou em 18,2% seus gastos em 2017, totalizando um montante de R$ 275,7 milhões investidos contra os R$ 233,4 milhões em 2016.

Outras capitais da região também aumentaram seus investimentos. Foram Belém, que aumentou em 4,9% seus gastos com educação; Macapá (AP), que registrou alta de 4,2%; e Palmas, com alta de 1,6% em 2017 se comparado a 2016. Além disso, os municípios de Araguaína (TO), Santarém (PA) e Marabá (PA) também aumentaram seus gastos em educação no ano passado. Os percentuais foram de 3%, 1,4% e 0,1%, respectivamente.

Em sua 14ª edição, a publicação utiliza como base números da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apresentando uma análise do comportamento dos principais itens da receita e despesa municipal, tais como ISS, IPTU, ICMS, FPM, despesas com pessoal, investimento, dívida, saúde, educação e outros.