Em protesto, carreata de ônibus acompanhará cortejo de motorista morto

Familiares e colegas de trabalho acompanham o velório do motorista. Segundo família, uma carreata de motoristas de ônibus seguirá o cortejo do corpo até o cemitério neste sábado (16)

Jucélio Paiva / redacao@diarioam.com.br

Manaus – “Conheci o ‘Chicão’ jogando futebol profissional na década de 70. Ele zagueiro e eu centroavante, quando nos enfrentávamos nos duelos do América com o Libermorro. As lembranças vão ficar para sempre”, as palavras são do aposentado Fernando Clemer, 58, ao lembrar do amigo, o motorista Franscisco Araújo da Silva, 50, durante o velório da vítima, que acontece em uma igreja católica, na Rua Boa Esperança, Bairro da Paz, zona centro-oeste.

Francisco era motorista da empresa São Pedro e foi morto com um tiro nas costas, durante um confronto entre assaltantes e um passageiro ainda não identificado, durante uma tentativa de assalto, dentro do ônibus da linha 450, na avenida Max Teixeira, bairro Cidade Nova, zona norte, na noite de quinta-feira (14).

O enterro do motorista foi confirmado pela família para 16h deste sábado (16), no cemitério Tarumã, zona oeste de Manaus. Às 15h, o corpo vai ser levado do local do velório no bairro da Paz seguido por uma carreata em forma de protesto, até o cemitério. As nove empresas de ônibus que operam o serviço de transporte público na capital vão disponibilizar um coletivo cada, para acompanhar o cortejo.

O irmão do motorista morto, Enilson Araújo, comentou que não conseguiu descansar desde a hora que ficou sabendo da morte. “Eu estou tirando forças não sei mais de onde, mas tenho que tentar ser forte por ele. Por tudo que meu irmão foi, e vai ser para sempre”, disse. Cerca de 50 pessoas, entre familiares e colegas de trabalho acompanham o velório do motorista.

Motorista de ônibus há 32 anos, Rosinaldo Rocha da Cruz, 49, relatou a insegurança que motoristas, cobradores e passageiros têm sofrido dentro dos coletivos, por conta dos constantes assaltos. “Todos os dias tem parceiros registrando Boletim de Ocorrência. Todo dia tem ônibus assaltado, e infelizmente, há casos que o trabalhador paga com a vida”, comentou.

Motorista buscava aposentadoria

Enilson Araújo, 44, foi ao Instituto Médico Legal (IML), na manhã desta sexta-feira (15), identificar o corpo do irmão. De acordo com irmão da vítima, o motorista já havia passado por outras inúmeras tentativas de latrocínio e se queixava constantemente. “Meu irmão trabalha há muito tempo no sistema, falava todo dia pra mim que já estava à procura de se aposentar. A segurança é praticamente zero”, afirmou.