Estudantes da Ufam terão acesso a informações acadêmicas por meio de aplicativo

Notas, frequência, horários e histórico escolar são os itens que poderão ser acessados pelo app. Cerca de 15 mil estudantes já acessam a versão web do sistema E-campus

Com informações da assessoria / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O Ecampusmob foi lançado nesta sexta-feira, 27, durante o encerramento da Semana de Artes, Ciência e Tecnologia, como resultado de um trabalho desenvolvido pelo Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Amazonas (CTIC/Ufam). Aproximadamente 15 mil estudantes que já acessam a versão web do sistema E-campus pelo smartphone serão beneficiados pelo aplicativo.

O Ecampusmob foi lançado nesta sexta-feira (Foto: Divulgação/Ufam)

“Trata-se de um mobile por meio do qual vai ser possível visualizar informações acadêmicas, relativas ao curso de graduação, e também institucionais, como avisos sobre temas relevantes a esse segmento. Ele foi elaborado em parceria com a Proeg conforme as demandas mais recorrentes”, esclarece o técnico-administrativo em Educação, Carlos Magno, diretor do CTIC.

Desenvolvimento

“Fizemos levantamentos e verificamos, por exemplo, que a maior parte dos estudantes das unidades do interior já faz a matrícula usando o smartphone na versão web, mesmo sem layout próprio”, relata Magno. O Guia do Estudante foi o documento que norteou quais os serviços deveriam fazer parte dessa primeira versão do Ecampusmob para que ele seja atrativo e funcional para o público universitário.

“O E-campus possui uma área onde os usuários podem deixar reclamações e sugestões. Uma delas era a criação de uma versão mobile, com as principais funcionalidades… aos poucos vamos incluir outras funções”, acrescenta o coordenador de sistemas do CTIC, TAE Miguel Paiva.

A ideia de desenvolver um app com essas características vem sendo aprimorada há cerca de dois anos, sendo que a versão disponível levou cinco meses para ser concluída. Os desenvolvedores são os finalistas do curso de Ciência da Computação, Carla Batista e Wagner Lucas. Segundo explicam, a prioridade foi para a inclusão de consultas, como notas, frequências, horários e histórico escolar. “A partir do feedback dos usuários, vamos desenvolver a parte mais interativa”, declararam os acadêmicos.

Além da programação, a equipe teve reforço de profissionais de outras áreas: do Design, para adaptar o layout parecido com o E-campus web para a versão mobile; de Bancos de Dados e Análise de Sistemas, para fazer a comunicação entre as bases de dados dos graduandos regularmente matriculados e ativos ao aplicativo; e de revisão dos textos que estão disponibilizados na plataforma.

Upgrade

“A nossa equipe de desenvolvimento identificou que algumas instituições de ensino já possuem alguns aplicativos para estudantes, mas eles são sempre pontuais. Por exemplo, um para o RU, outro para outro serviço… mas nunca com um conjunto de informações”, aponta o diretor do CTIC sobre os levantamentos prévios.

Os desenvolvedores destacam ainda a importância de receber as avaliações dos usuários, para que possam trazer novas funcionalidades. “Para criar a versão atual, que roda somente em aparelhos com o Android, demoramos cerca de cinco meses”, contaram os estudantes, tendo em vista que a maior parte dos aparelhos que acessam o E-campus atualmente possuem sistema Android. Isso não descarta a possibilidade de desenvolverem, em breve, o app para IOS (da Apple).

Ecampusmob já está disponível na versão beta há cerca de 20 dias, em fase de testes. Carla Batista e Wagner Lucas afirmam: “O mais importante é que todos usem e respondam a avaliação do Playstore para que possamos melhorar ainda mais o serviço”.