Exército e PM fazem operação de varredura e revista na Cadeia Pública Vidal Pessoa

Da Redação / portal@d24am.com

Colaborou a repórter Sigrid Avelino
Matéria atualizada às 12h34

Manaus – Militares do Exército, efetivos da Força Nacional, da Polícia Militar e Polícia Civil fazem uma operação de varredura e revista na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro, na manhã desta terça-feira (31). Esta é a primeira operação da Força Nacional e do Exército dentro da Vidal Pessoa e a segunda revista do ano no local desde as mortes de 65 detentos após rebeliões em presídios da capital.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, Cerca de 750 servidores, entre militares do Exército, policiais Civis e policiais Militares, participam da operação.

Comboios do exército começaram a chegar por volta das 5h30,  juntamente com os grupos especializados da PM, PC e agentes da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). O efetivo entrou no presídio por volta de 6h.

No local, a informação é de que o Exército faz a varredura nas dependências do presídio, a fim de encontrar objetos ilícitos como armas e drogas. A contagem e revista nas celas fica a cargo da Seap e das polícias.

As ruas no entorno da Cadeia, localizada na Avenida Sete de Setembro foram interditadas num perímetro de 500 metros desde às 3h. Familiares e pedestres não podem passar pelas barreiras das polícias.

O titular da Seap, Cleitman Rabelo, informou que a operação é rotineira e acontece a pedido do Governo. Ele informou que o balanço da operação será divulgado na tarde desta terça-feira.

Parente espera liberação de visistas na unidade

Esposa de um dos detentos e no local desde às 6h30, Denise Silva não falao com o companheiro desde o dia 1º de janeiro, quando ocorreram as rebeliões nos presídios. As visitas na unidade ainda não foram liberadas e ela espera que após a operação os familiares possam voltar a visitar os detentos.

“Vim para cá achando que poderia ser uma fuga quando vi um helicóptero sobrevoando, mas me tranquilizei quando vi o pessoal da Força Nacional entrando no presídio. Creio que o Senhor vai ajudar a liberar as visitas e ver eles [familiares presos]. A informação que nos passam é que está tudo bem, mas como, se estão sem roupas, sem alimentos?”, disse.