Manaus Ambiental é multada em R$ 8 mi por irregularidades no fornecimento de água

Gisele Rodrigues / portal@d24am.com

Manaus – A Manaus Ambiental recebeu quase R$ 8 milhões em multas no ano passado devido as irregularidades no fornecimento de água e serviço de esgoto na capital, segundo dados da Agência Reguladora dos Serviços Públicos (Arsam). Pelo primeiro rompimento da adutora localizada na Alameda Cosme Ferreira, ocorrido há dez dias, a concessionária de água recebeu a indicação de multa no valor de R$ 369 mil, outro rompimento na mesma via ocorreu nesta quarta-feira (22) e o valor da multa ainda será calculado.

Foram, ao todo, oito multas, 13 advertências e 29 notificações dadas à Manaus Ambiental no ano passado, segundo a Arsam.

Problemas com o fornecimento de água, com a tarifa social, descaso na resolução da reclamação dos clientes e odor insuportável em redes de estação de tratamento de esgoto estão na lista de advertências da Arsam.

De acordo com o diretor-executivo do Programa de Água para Manaus (Proama), Sérgio Elias outra multa pela reincidência está sendo calculada pela Arsam e a adutora da Alameda Cosme Ferreira será desativada.

Conforme Elias, o encanamento é antigo e possui 35 anos de atividade. De acordo com o diretor, na capital cerca de 600 quilômetros de adutores cobrem os bairros da cidade e a maioria chegou a ser trocado no ano passado, mas em três pontos da cidade – Coroado, Santo Antônio e Ponta Negra – os encanamentos ainda são antigos.

“É uma adutora de 1982 que hoje não funciona como adutora, não é bombeada, só trabalha com a distribuição. O que acontece é que ela precisa ser isolada e já foi isolada. Agora que ela não vai ser mais usada não teremos outros vazamentos”, garantiu.

Sobre os constantes problemas com vazamentos, Elias relativizou o problema e afirmou que com cerca de 3.500 quilômetros de rede de água espalhada pela cidade, os problemas são pontuais.

“Nos dois primeiros anos, até meio de 2015 estivemos trabalhando para a cobertura de 95% de disponibilidade de rede de água e isso foi feito. Agora tem vários problemas pequenos. Se você pensar que temos 3.600 quilômetros de rede instalada em Manaus, 600 quilômetros só de adutora, quer dizer, não tem jeito de não ter um vazamento de vez em quando”, disse Elias.

A Manaus Ambiental informou que o serviço de correção do vazamento foi finalizado nesta quinta-feira, assim como o reaterro do terreno, liberando a via ainda pela manhã.

Ainda segundo a concessionária de água, a distribuição de água já foi realizada e a normalização do abastecimento de água no bairro do Coroado deve ocorrer ao longo desta quinta. No entanto a empresa não informou o número de famílias afetadas com o rompimento da adutora, na noite de quarta-feira.

Como forma de melhorias, a empresa defendeu que, cerca de metade da rede (1.500 quilômetros) foram acrescidos ou trocados por encanamentos novos, nos últimos anos.

A reportagem questionou o Ministério Público do Estado (MPE-AM) sobre as providências que o órgão pretende tomar contra a concessionária, em decorrência dos prejuízos sofridos pela população, mas até a publicação desta matéria, não tivemos resposta.

Comentários via Facebook