Pelo quarto ano seguido, Amazonas tem o maior índice de tuberculose do Brasil

Primeiro Lugar Para a coordenadora estadual do Programa de Controle da Tuberculose, o alto número de casos registrados nos últimos anos é consequência da melhora no diagnóstico da doença no Estado

Agência Brasil/redacao@diarioam.com.br

Alerta No Amazonas, tuberculose tem mais de 100 óbitos por ano. Foto: Raimundo Valentim/Arquivo

Brasília – O Amazonas registrou, no ano passado, 67,2 casos de tuberculose a cada 100 mil habitantes, mais do que o dobro da média nacional, que foi de 32,4 casos para o mesmo grupo. Os dados colocam o Estado, pelo quarto ano seguido, em primeiro lugar no ranking das unidades da federação com as maiores taxas de incidência da doença no Brasil.

Apenas um município amazonense, Uarini, não registrou casos da doença em 2016. Até o fim de maio de 2017, 1.108 casos novos foram confirmados no Estado, 70 a menos em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são do Ministério da Saúde e foram divulgados, ontem, pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS).

A coordenadora estadual do Programa de Controle da Tuberculose da instituição, Marlucia Garrido, ressalta que não há um surto da doença no Estado e que o alto número de casos está dentro do esperado, já que houve melhora no diagnóstico. “Nós melhoramos muito o acesso e a qualidade do diagnóstico aqui. E isso refletiu no aumento do número de casos, principalmente com a implantação do teste rápido molecular, a partir de 2012, e depois com a descentralização. Isso tem sido de grande contribuição para o diagnóstico correto, aqui, no Amazonas”, afirmou a coordenadora.

Segundo Marlucia, a tuberculose é uma das doenças infecciosas que mais mata a população amazonense desde o século passado. São mais de 100 óbitos por ano. A falta de diagnóstico precoce e de tratamento são os principais fatores que contribuem para o alto número de casos.

Tratamento

Pessoas que apresentem tosse por mais de três semanas devem procurar um médico. Outros sintomas associados à tuberculose são falta de apetite, febre no final da tarde ou início da noite, perda de peso, sensação de fraqueza e suor noturno. O tratamento da doença, oferecido gratuitamente na rede pública de saúde, é feito com antibióticos e dura, no mínimo, seis meses.