Polícia vai investigar furto de armas, munições e drogas em delegacia de Coari

Divulgação/ Polícia Civil

Carla Albuquerque – DEZ Minutos / portal@d24am.com

A Polícia Civil vai instaurar inquérito para investigar sucessivos furtos de armas como espingardas e submetralhadoras, munições e drogas de dento das dependências da Delegacia Interativa de Coari (a 363 quilômetros de Manaus). De acordo com o diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI) Mariolino Brito, um delegado será enviado para apurar o caso. Brito não descartou o envolvimento de servidores do DIP e afirmou que todos os funcionários da unidade serão investigados e interrogados.

Conforme informações da polícia, o último caso de furto foi registrado no dia 31 de janeiro. Na ocasião, sumiram armas e drogas de dentro da unidade. O armamento desapareceu, após a janela da sala do delegado ter sido arrombada. Mariolino não soube informar quais os calibres das armas nem a quantidade de entorpecente extraviada.

Além desse furto, outros três já haviam sido registrados dentro da delegacia. O primeiro ocorreu no dia 2 de setembro. À época, a polícia identificou o sumiço de duas espingardas e mais 300 munições de vários calibres. Já no início do mês de novembro, uma submetralhadora foi furtada.

Para investigar o desaparecimento da submetralhadora, o DPI enviou para a cidade o delegado Thiago Garcez, que desapareceu no município, após ter entrado em confronto com traficantes colombianos e caído no rio Solimões. O sumiço do delegado ocorreu enquanto as investigações sobre o sumiço da arma ainda estava em andamento.

Outro registro ocorreu no dia 14 deste mês, quando sumiu cerca de 1 quilo de maconha de dentro da sala de investigação. Em apenas um caso houve arrombamento. “Tudo isso causa estranheza e queremos saber o que está acontecendo lá (Coari) e é por isso que estamos enviando um delegado para apurar o caso”, afirmou o diretor do DPI.

O delegado da unidade, Mauro Duarte, informou que ainda não pode falar sobre o assunto.