Operação Hígia desarticula esquema para desvio de medicamentos da rede pública de saúde

Manuella Barros / manuellabarros@gmail.com

Manaus – Três pessoas foram presas, durante a operação Hígia, da Polícia Civil, na manhã desta quinta-feira (16), suspeitas de desviar medicamentos e materiais de enfermagem do Pronto-Atendimento Médico (PAM) da Codajás, Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, Hospital e Pronto Socorro João Lúcio e até o Hospital de Iranduba. Entre eles, dois servidores da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) estavam envolvidos.

Antônio Rodrigo Vieira, 56, apontado como líder da organização criminosa era funcionário público, contratado da secretaria há 14 anos. Um dos acusados está foragido segundo a PC.

A operação batizada de Hígia, cumpriu, nesta manhã, nove mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão preventiva e cinco mandados de condução coercitiva, no bairro São Francisco, Praça 14, Centro, Colônia Terra Nova, Cachoerinha e Cidade Nova. Os mandados de condução coercitiva e busca e apreensão foram cumpridos em consultórios odontológicos, laboratórios de análises clínicas e na casa dos envolvidos.

Confira ao vivo: 

As investigações, comandadas pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), foram iniciadas em dezembro do ano passado, a partir de uma denúncia anônima enviada ao Ministério Público do Estado (MPE-AM). Conforme o delegado da DRCO, Denis Pinho, a PC ainda não conseguiu calcular o montante de medicamentos desviados das unidades de saúde, mas segundo ele, a prática por parte dos servidores do Estado ocorria há vários anos.

Além de Antônio, foram presos pela operação o servidor público contratado da Susam, Sidney Barbosa Silva, locado no Instituto da Mulher; e Sílvio César de Araújo, funcionário terceirizado que atuava no Serviço de Pronto Atendimento (SPA) da zona sul.

 

Comentários via Facebook