Vacinação contra o sarampo será intensificada nas escolas; capital registra mais 121 casos

A Semsa divulgou nesta segunda, informativo mostrando que Manaus registra 723 casos confirmados da doença. São 121 casos a mais do que o registrado há uma semana

Com informações da assessoria / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A Prefeitura de Manaus vai intensificar as ações de vacinação contra o sarampo nas escolas da rede municipal de ensino. Em parceria com o Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) vai notificar pais e responsáveis para que autorizem a aplicação do imunobiológico nas crianças que ainda precisam ser vacinadas.

A Prefeitura de Manaus vai intensificar as ações de vacinação contra o sarampo (Foto: Divulgação)

O plano de ação foi apresentado pelo secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, na manhã desta segunda-feira (13), durante entrevista coletiva na sede do MPE, localizada na avenida Coronel Teixeira, 7995, no Nova Esperança.

“O plano a ser seguido consistirá em notificar esses pais ou responsáveis que a vacinação será realizada na escola da criança e, em caso de falta de justificativa relevante para a não aplicação do imunobiológico, a escola acionará o Conselho Tutelar para verificar o caso. Havendo resistência, o Ministério Público será notificado, estando o pai ou responsável sujeito ao pagamento de multa que pode chegar até 20 salários mínimos”, explicou Magaldi.

A fiscalização dos casos de crianças não vacinadas por falta de autorização é necessária, pois a imunização contra doenças contagiosas como o sarampo é direito da criança e obrigação dos pais ou responsáveis.

“Com 5.700 casos notificados, é de extrema importância imunizar nossas crianças. Trata-se de saúde pública devido ao nível de contágio da doença. A vacina tríplice viral, que protege não só contra o sarampo, mas também da caxumba e rubéola, está disponível na rotina em todas as salas de vacinação da capital, nas Unidades Básicas de Saúde e Policlínicas, basta levar identidade e cartão de vacinação da criança”, disse Magaldi.

Novo Informativo Epidemiológico

A Semsa divulgou nesta segunda-feira (13), o 23º Informativo Epidemiológico de Monitoramento dos Casos de Sarampo, mostrando que Manaus registra 723 casos confirmados da doença. São 121 casos a mais do que o registrado há uma semana. Os casos suspeitos e que ainda estão em investigação passaram de 4.167 para 4.694.

Ao todo, desde o início do surto da doença no mês de fevereiro, Manaus registrou 5.693 notificações de sarampo, o que engloba os 723 casos confirmados, os 4.694 casos suspeitos (aguardando resultado laboratorial) e 276 casos descartados após investigação.

A Prefeitura de Manaus continua com a intensificação do combate à doença com a oferta da vacina tríplice viral, que imuniza contra o sarampo, a rubéola e a caxumba, promovendo ações como: bloqueio vacinal nas localidades com notificação de casos suspeitos; varreduras em pontos estratégicos nos bairros com maior número de casos; ações em escolas; e fortalecendo o trabalho de rotina nas 183 salas de vacina da rede municipal para a faixa etária de um a 49 anos.

Além disso, a Semsa conseguiu superar a meta da Campanha Municipal contra o Sarampo, direcionada para crianças de seis meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias, com a aplicação de 204.897 doses de vacina, garantindo uma melhor proteção para a faixa etária com maior risco de desenvolver complicações graves pela doença, sendo que a meta inicial era a aplicação de 191.585 doses.

“Porém, os pais e responsáveis devem continuar atentos para a avaliação do cartão de vacina das crianças em todas as faixas etárias. E é preciso aumentar a cobertura vacinal entre adolescentes, jovens e adultos até 49 anos, que devem procurar uma Unidade de Saúde para se imunizar. A vacina tríplice viral é a única forma de prevenção contra o sarampo”, alerta o secretário da Semsa, Marcelo Magaldi.

Faixa etária

O novo informativo aponta também que 44,6% dos casos confirmados estão na faixa etária de até cinco anos, seguido da faixa etária de 15 a 29 anos (32,6%). Entre todas as notificações, que incluem os novos casos suspeitos e ainda em investigação, a faixa etária de 15 a 29 anos é a mais atingida, representando 50%, seguida da faixa etária de 30 a 49 anos (14,8%) e menores de um ano (14,5%).

“Os dados mostram que, considerando o número de casos suspeitos e ainda em investigação, as novas notificações da doença apresentam uma migração da faixa etária, atingindo mais jovens adultos até 29 anos. Isso é um reflexo da intensificação na imunização de crianças, mas também mostra que adolescentes, jovens e adultos precisam procurar uma Unidade de Saúde para avaliação da situação vacinal”, reforça a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), Marinélia Ferreira.

Distritos

O 23º Informativo Epidemiológico de Monitoramento dos Casos de Sarampo mostra que o Distrito de Saúde (Disa) Norte ainda registra o maior número de notificações, com um total de 2.127 casos notificados (37,4%). Em seguida há o Disa Leste com 1.982 notificações (34,8%), Disa Sul com 772 (13,6%), Disa Oeste com 735 (12,9%) e Disa Rural com 77 (1,4%).