A cada meia hora, em média, um novo caso de sarampo é notificado em Manaus

Desde o surto da doença, 2.225 casos continuam em investigação aguardando o resultado laboratorial, 317 foram confirmados e 118 descartados. Um bebê morreu vítima da doença

Gisele Rodrigues

Manaus – A cada meia hora um novo caso de sarampo é notificado em Manaus. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) entre o dia 3 deste mês e esta terça-feira, 10, outros 384 novos registros entraram para a lista de investigação, nesta semana. Desde o surto da doença, 2.225 casos continuam em investigação aguardando o resultado laboratorial, 317 foram confirmados e 118 descartados. Um bebê de sete meses morreu vítima de sarampo em Manaus, na última quinta-feira (5).

Um bebê de sete meses morreu vítima de sarampo em Manaus, na última quinta-feira (5) (Foto: Agência Brasil)

A zona norte concentra 36% do casos com 969 notificações. Em seguida a zona leste, com 876 casos em investigação, é a zona da cidade com o maior número de infectados com o vírus do sarampo, conforme informou a Semsa no 18º Informativo Epidemiológico de Monitoramento dos Casos de Sarampo, divulgado nesta terça.

O problema se estende por toda a cidade, segundo a secretaria, a zona Sul apresenta 424 notificações, enquanto a zona Oeste tem 370 e até a zona Rural registrou notificações de 21 casos.

No último informativo 2.231 casos tinham sido notificados até o último dia 3. Há uma semana 271 casos foram confirmados. Já nesta terça, o número subiu para 317, cerca de 17% de aumento em uma semana.

“Os dados no informativo mostram que é preciso continuar reforçando as ações de prevenção ao sarampo com a oferta de vacinação, disponível em 183 salas da vacina para pessoas na faixa etária de seis meses a 49 anos. E a população deve colaborar procurando uma Unidade de Saúde para atualizar o cartão de vacinação”, alerta o secretário municipal de Saúde (Semsa), Marcelo Magaldi.

O 18º Informativo Epidemiológico também aponta a tendência contínua de aumento de casos entre adultos jovens, na faixa etária de 20 a 29 anos, com o registro de 632 do total de notificações (23,8%). No 14º Informativo, divulgado no dia 12 de junho, essa mesma faixa etária registrava 188 casos notificados.

Há ainda registro de aumento no número de casos entre adolescentes e jovens de 15 a 19 anos, que já representam 20,8% das notificações, seguido do grupo de crianças entre um e cinco anos (14,6%).