Caminhoneiros bloqueiam rua no Distrito em protesto contra alta do diesel

Os caminhoneiros formaram uma fila quilométrica em frente à Refinaria de Manaus, impedindo a entrada e saída de caminhões com combustíveis que abastecem postos e até aeronaves

Édria Caroline

Manaus – Cerca de 60 caminhoneiros que fazem transportes de cargas para todo o Amazonas e regiões próximas paralisaram as atividades desde as 4h da manhã desta quinta-feira (24). Eles protestam contra o aumento do preço do combustível em todo o País. O grupo reivindica a redução do preço do diesel para R$ 2,00.

Os caminhoneiros formaram uma fila quilométrica na Rua Marapatá, no Distrito Industrial, em frente à Refinaria de Manaus, impedindo a entrada e saída de caminhões com combustíveis que abastecem postos e até aeronaves.

De acordo com o representante do movimento dos caminhoneiros, Edmilson Aguiar, o grupo reivindica a redução do preço do diesel para R$ 2,00. “Baixou para R$ 3,50 mas não é lucro pra nós. Em uma carga de transporte de cimento, por exemplo, nós só podemos transportar pouco mais de mil sacos no valor de R$ 4,60. O valor de R$ 3,8 mil nós gastamos só com combustível (por viagem para Boa Vista, por exemplo). Não tem condições disso continuar assim”, afirma o representante da categoria.

Caminhões com transporte de madeira, cimento e combustível estão impedidos pelos manifestantes de sair do local. Segundo o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos, Sérgio Alexandre, a manifestação só vai acabar quando o preço do combustível for reduzido.

“Nós vamos ficar aqui com os companheiros, revezando, até que o governo federal atenda o nosso pedido e diminua o valor do combustível. Caso o contrário, toda a cidade vai ser prejudicada com a falta dele na cidade”, afirma Alexandre.

O representante também diz que 60% do custo dos caminhoneiros é com combustível. Além disso, eles pedem o marco regulatório para a categoria, que já tramita na Câmara dos Deputados há três anos, segundo ele, e uma tabela mínima de frete, que hoje a categoria não possui.

Apoio de outros motoristas

Motoristas de transporte por aplicativo também estiveram na manifestação. Segundo Alexandre Matias, representantes da categoria, 50 motoristas estão no local também para protestar contra o preço elevado do combustível. “Tem colegas que já estão desistindo de rodar por conta do aumento do preço do combustível. Não somos apenas nós que perdemos, mas toda a população. Queremos, pelo menos, a redução de 25% desse preço absurdo do preço da gasolina. Por isso viemos aqui para apoiar nossos companheiros caminhoneiros e dizer um basta a esses aumentos absurdos”, enfatiza o motorista.