Hospitais atendem 40 acidentados por dia, em Manaus

Média de atendimentos da Secretaria de Estado de Saúde foi registrada até o começo de maio e mostrou que, de cada dez acidentados no trânsito, oito foram atingidos ou estavam em uma motocicleta

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus- Por dia, 40 pessoas foram parar nos hospitais vítimas de acidentes de trânsito na capital, neste ano. A média de atendimentos da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) foi registrada até a primeira semana de maio e mostrou que, de cada dez acidentados, oito foram atingidos ou estavam em cima de uma motocicleta, conforme dos dados da secretaria.

Em números absolutos, passaram por atendimento médico nas unidades de emergência da capital 4.411 pessoas que se envolveram em acidentes com motos, até a primeira semana deste mês de maio. Em 2017, a Susam atendeu 18.695 pacientes vítimas de acidentes com motocicletas e 12.351 com carros.

(Foto: Divulgação)

Quase mil pessoas ficaram feridas em acidentes automobilísticos como o que ocorreu com Eliel Lopes Brito, 52, que morreu, e outras três pessoas – dois homens e uma mulher – que ficaram feridas, após serem atingidas por uma carreta, no Km 21 da BR-174 (Manaus-Roraima), por volta das 19h, da última quarta-feira (9). As vítimas estavam, em um carro de passeio e saiam da estrada da Comunidade Pau Rosa, com destino à capital.

A carreta estava na contramão, segundo informações de testemunhas do acidente, repassadas à Polícia Rodoviária Federal (PRF). O Corpo de Bombeiros foi acionado para o local para fazer a retirada do idoso, que ficou preso às ferragens. Ele era motorista do veículo. Dois homens e uma mulher, que não tiveram os nomes divulgados, foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados para o Hospital da Zona Norte Delphina Aziz.

Outro caso envolve Pedro Nascimento, de 20 anos, vítima de acidente de trânsito no bairro Alvorada, zona centro-oeste da capital, quando voltava para casa de carona com um amigo, em uma motocicleta, no dia 1º de janeiro deste ano. No cruzamento entre duas vias, a motocicleta foi atingida por um carro. Pedro fraturou o fêmur e precisou ficar internado 30 dias no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na zona centro-sul de Manaus, da rede pública. Ele passou por duas cirurgias e ainda hoje não retomou todas as atividades do dia a dia.

A mãe do jovem, Magaly Wilkens, conta que Pedro anda com a ajuda de muletas e vai iniciar o tratamento de fisioterapia. “Ele retornou para o trabalho, mas não para a atividade de antes – como carregador, no almoxarifado –, porque ainda não pode levantar peso. Foram longos meses até que pudesse retornar ao trabalho e ainda falta bastante tempo para que se recupere completamente”, explicou.

A Susam informou que os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que o Brasil é o quinto país com maior número de mortes no trânsito, atrás apenas da Índia, China, Estados Unidos e Rússia. O ‘Maio Amarelo’, segundo a secretaria, é uma forma de alertar para o alto índice de mortos e feridos no trânsito. Neste ano, o tema da campanha nacional, lançada no último dia 2, é ‘Nós somos o trânsito’.

“É preciso conscientização e maior prudência no trânsito”, diz o secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato. De acordo com ele, o Brasil vive uma epidemia de acidentes de trânsito e o aumento dos atendimentos envolvendo motociclistas é uma realidade. O secretário ressalta que atitudes simples podem fazer a diferença no trânsito. Dentre elas, o uso do cinto de segurança, o transporte das crianças em cadeirinhas apropriadas e dar a vez para o pedestre atravessar.