IBGE: gastos com pessoal na indústria aumentaram R$ 43 milhões, em 2014

Por Beatriz Gomes


Manaus – Os gastos da indústria com pessoal aumentaram R$ 43 milhões, em 2014, comparado ao ano anterior. De acordo com a Pesquisa Industrial Anual 2014 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os gastos com salários, retiradas e outras remunerações passaram de R$ 4,14 bilhões, em 2013, para R$ 4,18 bilhões, no ano seguinte.

A receita líquida de vendas das unidades industriais também aumentou naquele ano e chegou a R$ 93,7 bilhões, 8,4% acima de 2013.

A pesquisa aponta ainda que o número de indústrias locais com cinco ou mais pessoas ocupadas no Amazonas caiu 2,4%, na passagem de 2013 para 2014. Havia 1.238 unidades locais em 2014 contra 1.269, em 2013, 31 a menos.

O resultado também refletiu na queda de 6,9% no número do pessoal ocupado na atividade, provocando a baixa na média de pessoas de 109,5, em 2013, para 104,5, em 2014. Os setores de indústrias extrativas e de transformação, ocupavam 139 mil pessoas, em 2013, contra 129,3 mil pessoas, em 2014.

Para o supervisor de disseminação de informações do IBGE, no Amazonas, Adjalma Jaques, é preciso ressaltar que 2014 era um ano pré-crise. “Naquele ano, a produção mensal industrial teve nove meses de queda e, somente três foram positivos. No acumulado do ano, a pesquisa mensal fechou em dezembro com queda de 3,8%, em relação a 2013. Então, já havia esse ambiente pré-crise e isso justifica tanto a redução de pessoal quanto das unidades locais”, explicou Jaques.

A receita líquida de vendas chegou a R$ 93,7 bilhões, em 2014, uma média de R$ 75,7 milhões por unidade. A maior receita ficou com a atividade fabricação de equipamentos de informáticas, eletrônicos e ópticos (R$ 35,5 bilhões); seguida por fabricação de outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores (R$ 13,1 bilhões), depois fabricação de bebidas; fabricação de máquinas e equipamentos e fabricação de produtos de metal com 8,8, 4,3 e 3,4 bilhão respectivamente.

“Ainda tínhamos um pouco de demanda de vendas porque a receita aumentou de um ano para o outro. Mas, em 2014 já havia esse cenário de atenção”, destacou o supervisor do IBGE.

O valor da transformação industrial, que é o valor bruto da produção industrial (R$ 83,1 bilhões) menos os custos das operações industriais (R$ 47,4 bilhão), foi de R$ 35,6 bilhão, R$ 1,7 bilhão maior que em 2013.

Os três setores que lideraram o ranking de participação no valor da transformação industrial foram fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (26,5%), fabricação de bebidas (21,3%), e fabricação de outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores (11%).