Mal conservadas, rodovias estaduais ameaçam a vida de quem precisa delas

De Gisele Rodrigues

Manaus – Buracos, falta de sinalização e iluminação são alguns dos problemas que, segundo moradores e motoristas, estão causando acidentes nas rodovias estaduais AM-010 (que liga Manaus a Itacoatiara) e AM-070 (Manaus-Manacapuru). Para o diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Leonel Feitoza, os problemas apontados são “desculpas dos motoristas para cometer infrações”.

Na última quinta-feira (03), oito pessoas ficaram feridas em um acidente entre um táxi, que tentou desviar de um buraco, e um carro de passeio, no quilômetro 30 da AM-010.

O trecho mais crítico, segundo o eletricista Francisco Castro, 42, se encontra entre os quilômetros 25 e 42 da rodovia estadual que dá acesso ao município de Itacoatiara. O eletricista, que mora em frente a um buraco que chega a tomar as duas pistas da estrada, relata que os acidentes são constantes na área há, pelo menos, um ano.

“Aqui é horrível esse trecho, porque o buraco é bem na curva e os carros vão desviar e acabam batendo de frente. Quase todo dia tem um acidente aqui na frente. Ontem (quinta-feira, 3), teve um acidente, tinha até um bebezinho no carro. Graças a Deus ninguém morreu”, disse.

Motoristas precisam ficar atentos para desviar dos buracos e evitar acidentes em rodovias como a AM-010. Foto: Sandro Pereira
Motoristas precisam ficar atentos para desviar dos buracos e evitar acidentes em rodovias como a AM-010. Foto: Sandro Pereira

A situação no período noturno fica mais comprometida, segundo Castro, porque os motoristas não conseguem ter a visibilidade necessária para desviar com segurança dos buracos. Para tentar diminuir os acidentes, o eletricista e membros da comunidade tentaram cobrir com cascalho e sacos de terras as depressões formadas no asfalto da AM-010.

“Eu pegava o meu cascalho para ajudar a tapar o buraco, principalmente, em época de chuvas, que não dá para ver a profundidade e o pessoal passa com tudo. Mas aí quase me atropelam, agora, não faço mais”, disse Castro.

A reportagem percorreu cerca de 42 quilômetros da rodovia e constatou vários trechos sem acostamento, com ausência de sinalização horizontal (faixas e símbolos pintados nas ruas, avenidas e rodovias) e vertical, que correspondem às placas fixadas em poste ou suporte vertical para indicar, entre outras coisas, a velocidade permitida e ultrapassagem proibida.

Na beira da pista, é possível achar, ainda, placas que foram completamente cobertas pela mata e placas improvisadas pelas comunidades rurais, indicando a quilometragem do trecho.

 

Acidentes frequentes

A dona de casa Sebastiana Gurjão, 31, moradora da Comunidade Água Branca, também na AM-010, reclama da falta de iluminação. Segundo ela, os acidentes são frequentes na entrada da comunidade. “Ontem mesmo teve um acidente aqui, o carro foi desviar do buraco e deu de frente. Sem iluminação não dá para enxergar quase nada dos buracos”, disse.

Com dois filhos em idade escolar, o caseiro Elson Ferreira, 28, se preocupa com a segurança no trajeto do colégio, feito pelo transporte escolar rural. “Eles saem para a escola, mas do jeito que essa estrada está, tenho até medo que não voltem. Que Deus os livre”, afirmou.

Em frente à fabrica 3M, na AM-010, o asfalto já está cedendo e com a passagem de veículos pesados, os motoristas precisam realizar verdadeiros malabarismos para conseguirem passar na via com as carretas.

Nas obras da AM-070 não há acostamentos. Foto: Sandro Pereira
Nas obras da AM-070 não há acostamentos. Foto: Sandro Pereira

Obras inacabadas

A reportagem também percorreu a rodovia estadual AM-070, conhecida como Manoel Urbano. A estrada que dá acesso ao município de Manacapuru, possui obras inacabadas de duplicação da via e a falta de sinalização confunde os condutores.

O frentista Leandro Correia, 24, afirmou que o recapeamento até o quilômetro 30 está pavimentado e duplicado desde o mês de agosto, mas a sinalização horizontal e vertical não foi feita.

“A situação piora à noite, porque fica um breu aqui. Se não prestar atenção, já viu. E olha que faz tempo que está assim”, reclamou. A reportagem verificou, ainda, que nas obras de recapeamento e duplicação da rodovia ainda não há acostamentos.

 

Sinalizações verticais estão ‘boas’, diz diretor-presidente do Detran-AM

O diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), Leonel Feitoza, afirmou que chegou a passar pelas duas rodovias estaduais citadas pela reportagem, na última semana, e, segundo ele, as sinalizações verticais estão “boas”.

“O trecho que está em obra na 070 está sinalizado, não vejo grandes problemas. Isso é uma desculpa, não é questão da rodovia, eu fui lá essa última semana e onde está em obra tem sinalização. Isso é desculpa dos motoristas para cometer infrações e imprudências”, disse.

Sobre a sinalização vertical, Feitoza informou que as placas utilizadas são roubadas ou danificadas e responsabilizou os próprios cidadãos pela depredação.
“O problema é que a gente coloca as placas, mas quebram, roubam, picham. Até marca de tiro tem nessas placas. Todo mês se gasta um dinheirão para recuperar, na realidade não é falha do poder público”, garantiu.

Ainda segundo Leonel Feitoza, um projeto de ampliação da AM-010 está sendo estudado, mas informações sobre as obras para o fechamento dos buracos, segundo ele, podem ser repassadas somente pela Secretaria de Estado de Infraestrutura do Amazonas (Seinfra).

 

Tapa-buracos

A Seinfra informou que os serviços da operação Tapa-Buracos da estrada AM-010 foram iniciados, na última sexta-feira. O órgão não informou, no entanto, quais trechos foram contemplados na primeira fase.

“Informamos, ainda, que a referida estrada será recapeada totalmente, assim que o projeto de financiamento, que está em tramitação na Secretaria do Tesouro Nacional (STN), for aprovado”, informou a secretaria, por meio de nota.

Em relação à Manoel Urbano, segundo a Seinfra, a conclusão da obra está prevista para ser realizada no final de 2017, mas a obra ainda aguarda repasses de recursos financeiros do governo federal para a sua conclusão.

Já a BR-174 estava passando, nesta sexta-feira, 4, por um recapeamento. Apesar de estar em boas condições em grande parte da estrada, conforme a reportagem constatou, os acostamentos são citados como as maiores dificuldades dos motoristas. Segundo a servidora municipal que possui um sítio na rodovia, Jane Andréa, 31, é recorrente ela encontrar veículos parados, no meio da rodovia, para realizar a conversão para o lado oposto da pista.