Manaus registra 5 incêndios por dia

Dados do Corpo de Bombeiros do Amazonas são de incêndios em vegetação urbana e referem-se ao mês de agosto, representando um salto em relação aos sete meses anteriores

Manaus – Manaus registrou, em média, cinco incêndios em vegetação urbana, por dia, durante o último mês de agosto. O dado faz parte das ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros do Estado. A corporação informou que a quantidade de atendimentos, em agosto, representa 74% das destruições de matas por fogo registradas ao longo dos primeiros oito meses deste ano. Esse tipo de destruição com a mata incendiada ocupa o primeiro lugar no ranking de atendimento a incêndios da corporação e um das ações que provoca essas ocorrências é a ação humana com fogo que se alastra de forma criminosa em áreas que são invadidas posteriormente.

Para os bombeiros, incêndios em vegetação também são provocados pela ação humana de forma intencional ou negligenciosa (Foto:Eraldo Lopes/Arquivo)

Conforme relatório do Centro de Operações de Bombeiros Militar (Cobom), foram 181 incêndios de vegetação urbana atendidos em Manaus e em regiões vizinhas à capital no mês de agosto. Em comparação aos meses anteriores, houve um salto grande de ocorrências de incêndios em vegetação. Em junho e julho, segundo o relatório da corporação, foram, respectivamente, 16 e 38 ocorrências do tipo registradas e atendidas pelos bombeiros.

Houve uma evolução nas ocorrências já que, nos meses anteriores, o número de atendimentos foi ainda menor com apenas um incêndio em vegetação urbana em março, outro em abril e sete registros em maio. Já nos primeiros dois meses do ano, os bombeiros não registraram nenhum atendimento de incêndio em vegetação urbana. De acordo com o relatório dos bombeiros, de janeiro a agosto deste ano, as ocorrências com mata incendiada representam 34% dos incêndios ocorridos em Manaus no período que envolvem incêndio em veículos, casas e depósitos.

O aumento das ocorrências envolvendo destruição por fogo em vegetação ocorre no mesmo mês em que o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou temperaturas altas com sensação térmica de próxima a 40ºC na capital. Conforme o Corpo de Bombeiros, parte das ocorrências que resultaram no salto de atendimentos desse tipo, no mês de agosto, está relacionada à característica da vegetação que se torna mais ressecada com o calor e com a baixa umidade relativa do ar, sendo mais propícia à propagação do fogo.

No entanto, os incêndios em vegetação também são provocados pela ação humana de forma intencional ou negligenciosa. Entre as ocorrências está limpeza de quintais por meio do fogo provocado. Outras situações são as áreas particulares ou públicas que são descampadas, propositalmente, por meio de incêndios provocados, para funcionar como alvo de grupos de invasores de terrenos.

Denúncias

O aumento de incêndios ao longo dos primeiros oito meses desse ano foi acompanhado da evolução do registro de denúncias sobre focos de focos. Conforme levantamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), no ano passado, foram registradas 244 denúncias de focos de fogo. Este ano, foram 274, um aumento de 12% em relação ao mesmo período de 2016.