Vigilância Sanitária já interditou 21 estabelecimentos em Manaus, neste ano

Bares, restaurantes e supermercados foram interditados por irregularidades, como alimentos com validade vencida e falta de higiene, entre outros. Multas podem chegar a R$ 40 mil

Gisele Rodrigues

Manaus – Neste ano, até julho, 21 bares, restaurantes e supermercados foram interditados e outros 49 estabelecimentos foram notificados, por comercializarem alimentos impróprios para consumo, em Manaus. De acordo com a Vigilância Sanitária da Prefeitura de Manaus (Visa), 60 multas foram expedidas pelo órgão no mesmo período. As infrações podem render multas de até R$ 40 mil, segundo o órgão.

Mais de 60 multas foram expedidas, de janeiro a julho, pela Visa (Foto: Divulgação/Visa Manaus)

Alimentos fora da validade, venda de comida sem as mínimas condições de consumo e higiene e ainda, produtos contaminados estão entre as irregularidades verificadas pelo órgão.

A Visa Manaus informou que são alvo dessas ações panificadoras, lanchonetes, restaurantes, supermercados, cozinhas industriais, pizzarias, entre outros locais de venda informal de alimentos.

Em maio, cerca de 400 quilos de carne bovina e linguiça impróprios para o consumo humano foram apreendidos e inutilizados pelo órgão, em operação de fiscalização.

Os produtos estavam à venda em um supermercado da Cidade Nova, de nome não divulgado pela Vigilância Sanitária, zona norte da capital, que foi autuado e multado.

A inspeção atendeu à denúncia anônima feita ao órgão, que é vinculado à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). As multas para as infrações sanitárias variam de 1 a 400 Unidades Fiscais do Município, atualmente no valor de R$ 101,78.

O mercado não possuía licença sanitária para funcionar, as câmaras frigoríficas estavam em precárias condições de limpeza e os produtos estavam armazenados sem higiene, sem organização e em contato direto com papelões e caixas, segundo informou o órgão de saúde.

De acordo com o fiscal Fabrício Barros, que participou da operação, “as irregularidades ferem o Código Sanitário e colocam em risco a saúde dos consumidores, com a possibilidade de danos severos, incluindo a morte por contaminação alimentar”.

Alimentos e água contaminados podem ser fonte de infecções causadas por vírus, parasitas, bactérias e suas toxinas, segundo explicou o órgão. Dentre essas doenças se incluem o botulismo e a infecção por salmonela, consideradas de alta gravidade.

No início deste mês, um grupo de 12 alunos da Escola Municipal Nossa Senhora da Paz aprendeu a verificar a data de validade, a aparência e as condições de embalagem dos alimentos. O órgão orientou o que deve ser observado na hora de comprar alimentos.

Denúncias devem ser comunicadas pelo telefone 0800 092 0123.