Coluna ‘Claro & Escuro’: Cientista critica o projeto do governo para o interior

Confira as notas da Coluna Claro & Escuro, desta sexta-feira, 31 de março, do DIÁRIO DO AMAZONAS

Da Redação / portal@d24am.com

Manaus – Ao dizer que não  acredita que o desenvolvimento da Amazônia “esteja indo no caminho apropriado”, em palestra na última reunião do Grupo de Estudos Estratégicos Amazônicos do Inpa, o pesquisador Charles Clement disse que desde o início da influência portuguesa a Amazônia é uma colônia. “E isso não mudou até hoje, apesar da Independência do Brasil, apesar da “integração”  propagada durante era militar e que os governos atuais falam”, diz Clement.  Ele citou a “nova matriz econômica-ambiental” do Estado, programa do governador José Melo (PROS), como “nova roupagem” do que já fizeram diferentes governos  e que, “na realidade são todos iguais, a exemplo do Terceiro Ciclo, de Amazonino Mendes, da Zona Franca Verde, de Eduardo Braga, a da Amazônia Rural, de Omar Aziz”. Clement afirmou que o interior apresenta um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo pelo simples fato de não possuir uma atividade econômica. “Tudo isso é falta de ideias e de investimento em Ciência e Tecnologia”, disse o pesquisador.

Segurança  na ponte 
O Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) contratou a Tawrus Segurança e vigilância Ltda., por R$ 156,5 mil para vigiar a Ponte Rio Negro, onde a Polícia Militar atua.

Novos ‘bafômetros’
O Detran-AM também fechou contrato de R$ 149,1 mil com a Elec, para comprar 20 kits completos de etilômetros (‘bafômetros) de uso portátil para a fiscalização da ‘lei seca’.

Mais tornozeleiras 1
A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) publicou o 4º Termo Aditivo, de R$ 5,7 milhões, ao contrato com a Synergye Tecnologia, para tornozeleiras eletrônicas.

Mais tornozeleiras 2
Acontece que o contrato, com a Synergye está sob suspeita do Ministério Publico de Contas do Estado, que investiga superfaturamento.

Décadas  de atraso
Um ranking sobre a presença feminina nos parlamentos brasileiros, do Projeto Mulheres Inspiradoras, mostra que o Brasil está abaixo da média mundial, média mundial do ano de 1990.

Concessão de reserva 1
A Fundação Vitória Amazônia foi escolhida pelo Instituto Chico Mendes para fazer o estudo de viabilidade para a concessão da Reserva Extrativista do Rio Unini, em Novo Airão (AM), especialmente da pesca esportiva.

Concessão de reserva 2
O estudo  deve avaliar a delegação de serviços de concessões  e a reversão de parte dos recursos para as populações da unidade de conservação, no Rio Negro.

Contra crime de ódio 
Pesquisa sobre segurança pública da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que 73% dos brasileiros querem penas mais severas para crimes de ódio.

Contratos da Muraki
Diferente de nota na coluna, decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre as contas da Universidade do Estado do Amazonas não proíbe contratos com a Fundação Muraki, desde que contemplada a lei que regula as licitações públicas.

Comentários via Facebook