Média de plano de saúde no AM era a 2ª maior do Brasil

O Amazonas registrou o 2º maior preço médio dos planos de saúde oferecidos no País, em dezembro de 2015, com R$ 704,17, contra a média nacional de R$ 610,24, segundo estudo divulgado, ontem, pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). O reajuste médio, no Estado, entre 2014 e 2015, foi de 18,1%. De acordo com a publicação ‘Painel de Precificação’,  São Paulo apresentou o menor valor  médio (R$ 423,41) e Roraima o maior (R$ 706,78). O levantamento considera o valor comercial dos planos da faixa dos 44 aos 48 anos de planos de segmentação ‘Ambulatorial + Hospitalar’ e tipo de contratação ‘Individual ou Familiar’.

O levantamento aponta, ainda, que o preço  sobe mais rápido na medida em que o beneficiário de plano de saúde muda de faixa etária, pesando mais para aqueles que tem 59 anos ou mais. Segundo a ANS, a diferença de preço entre a primeira e a última faixa etária  foi de 4,57 vezes para os planos ‘Coletivo Empresarial’, 4,56 vezes no  planos ‘Coletivos por Adesão’ e de 4,64 vezes para os planos ‘Individual ou Familiar’.

Cobrança de 1993
O Tribunal de Contas o Estado está notificando o ex- superintendente da Televisão e Rádio Cultura do Amazonas Eduardo Brizzi, a recolher R$ 404 mil, mais multa de R$ 13 mil, por irregularidades nas contas do exercício de 1993.

Saúde sob verificação
O Ministério Público do Estado instaurou procedimento para verificar a regularidade da oferta do serviço médico em média e alta complexidade em cirurgia cardiovascular pelo Estado do Amazonas.

Repasses menores
Em 2012, ano anterior à posse do prefeito Arthur Neto (PSDB), as transferências federais para Manaus somaram R$ 1.655.708.159,50. Desde lá, os valores anuais sempre foram, pelo menos, 30% menores.

Respostas eficazes
A desembargadora Carla Reis assumiu a Ouvidoria Geral do Tribunal de Justiça do Estado com a missão de dar eficácia às respostas aos jurisdicionados.

Maioria aprova lobby
Pesquisa inédita do Jota, organização de combate à corrupção, mostra que 57% dos deputados federais são favoráveis à regulamentação do lobby.

Eleitorado de mulheres
A maioria do eleitorado nacional é formada por mulheres, que representam 52,21% do total, com crescimento de 0,32 ponto percentual sobre 2012 (51,89%), diz o Tribunal Superior Eleitoral.

As chamadas luzes diurnas
Projeto de Lei no Senado busca eliminar a necessidade de acender os faróis durante o dia em vias urbanas que sejam consideradas rodovias e liberar do uso do farol baixo os veículos equipados com as chamadas luzes diurnas.

Manaus: R$ 7,14 por eleitor
Manaus é a 15ª capital onde os candidatos estão autorizados a gastar mais por eleitor nas eleições municipais de outubro: R$ 7,14. O maior valor é o de Palmas (TO), de R$ 45,06. E o menor, o de Rio Branco (AC): R$ 0,92, por eleitor.

Consumidor desligado
Apenas 30% dos consumidores brasileiros são conscientes. É o que mostra uma pesquisa divulgada, esta semana, pelo SPC Brasil. Em uma escala de 1 a 10, dão nota média de 8,9 para a importância do tema.

MAIS INFO
18,2 bilhões de reais é quanto vai custar o pagamento da primeira parcela do 13º aos aposentados e pensionistas, em agosto, informou nesta segunda-feira, a Secretária da Previdência, vinculada ao Ministério da Fazenda.

13,46% foi para quanto subiu a taxa média dos juros do cheque especial, na sexta alta consecutiva, informou, ontem, o Procon-SP.
Os juros para os empréstimos pessoais também subiram, e ainda com mais força, passando de 6,48% ao mês para 6,65%.
Inadimplência das empresas cresce 10,05% na Região Norte

Em junho, a inadimplência das empresas no Brasil aumentou 12,34%, em comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo o SPC Brasil. O Nordeste foi a região que apresentou a maior variação: 14,31%. As regiões Sul e Norte apresentaram variações menores, mas, ainda assim, expressivas: 10,66% e 10,05%, respectivamente. Na Região Norte, o crescimento do número de dívidas de pessoas jurídicas também foi alto, de 13,37%.

Comentários via Facebook