TCU vê irregularidades em 16 obras de orlas no interior

O Tribunal de Contas da União encontrou irregularidades na contratação emergencial (dispensa de licitação), em 2009, para as obras de contenção de orlas em 16 municípios do Amazonas, no valor total de R$ 60 milhões, à epoca: Barreirinha, Boca do Acre, Borba, Canutama, Codajás, Eirunepé, Humaitá, Jutaí, Manacapuru, Parintins, Pauini, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Tonantins, Uarini e Urucurituba.

A representação foi formulada pelo Tribunal de Contas do Estado sobre as obras executadas pela Secretaria de Estado de Infraestrutura do Amazonas (Seinfra/AM), com recursos do Termo de Compromisso nº 39/2009, firmado com o Ministério da Integração Nacional, por intermédio da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec). O superfaturamento, observado em seis contratos, nos municípios de Boca do Acre, Borba, Humaitá, Jutaí, Tonantins e Uarini, alcança o montante de R$ 903.505,83. A ex-secretária da Seinfra Waldívia Alencar e o seu ex-secretário executivo Roberto Honda de Souza foram multados em R$ 8 mil.

Limpeza pública em 2011
Após o Tribunal de Contas do Estado julgar irregulares, o Ministério Público instaurou inquérito civil para investigar as contas da Secretaria Municipal de Limpeza Pública, de 2011, de José Aparecido dos Santos.

Pronto para a Rio 2016
O Governo do Amazonas entrega, hoje, com sete dias de antecedência, as instalações para a realização do Torneio Olímpico de Futebol dos Jogos Olímpicos Rio 2016, na Arena da Amazônia.

Morte por ‘miliciano’
Policiais de Manaus investigam se foi um ‘miliciano’ contratado quem matou um ladrão e feriu outro, numa tentativa de assalto a passageiros dentro de um ônibus Executivo, na Djalma Batista.

Hashtag sem armas
Na operação Hashtag, a Polícia Federal não encontrou armas nos endereços dos 12 suspeitos – entre eles um de Manaus – de tramar um ato terrorista para o período da Olimpíada no Brasil.

Menos jovens na eleição
Na contramão do acirramento dos debates no País, o número de eleitores na faixa de idade de 16 a 17 anos, na qual o voto é facultativo, caiu 20% na comparação com a eleição de 2012.

Privatização benéfica 1
O novo presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, disse que a venda das distribuidoras de energia da companhia será benéfica para consumidores, governos, fornecedores, acionistas e contribuintes.

Privatização benéfica 2
Na semana passada, os acionistas da Eletrobras decidiram não prorrogar as concessões de seis empresas do grupo. Com isso, a Amazonas Energia deverá ser privatizada até o fim de 2017.

Controle de passagens
Decreto do governador José Melo (PROS) diz que caberá à Secretaria de Administração a gestão central para ‘procedimentar a forma de aquisição e contratação” de passagens aéreas para voos domésticos e internacionais.

Trabalho de apenado
A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária publicou Edital para credenciamento de empresas que pretende utilizar mão de obra e prestação de serviços de apenados do sistema prisional.

MAIS
1,8 bilhão de reais foi o lucro do Santander Brasil, maior banco estrangeiro no País, no segundo trimestre deste ano, ante resultado positivo no mesmo período de 2015 de R$ 1,675 bilhão. Foi um crescimento de 8,8%.

531.765 trabalhadores com carteira assinada perderam o emprego no Brasil só no primeiro semestre deste ano, o pior resultado desde o início da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, em 2002.

Moratória da Soja faz dez anos. Expansão era risco para a Amazônia

No último dia 24, completaram-se dez anos da Moratória da Soja, acordo de mercado resultado de uma das mais bem-sucedidas campanhas do Greenpeace no Brasil para a proteção da Amazônia, mostrando que o fim do desmatamento é possível e vantajoso para o mercado. A moratória fechou o mercado para o grão advindo de áreas de desmatamentos  ou envolvidos com trabalho escravo e invasão de terras indígenas.