Em quatro meses, multas crescem 146% em Manaus

Manaus – O descumprimento das normas de trânsito renderam aos motoristas de Manaus 72.333 multas, de janeiro a abril deste ano, segundo o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans). O número, que representa uma média de 597 infrações multadas, por dia, é 146% maior que as 29.359 penalidades aplicadas, entre janeiro e abril do ano passado.

De acordo com a diretoria do Manaustrans, a fiscalização está mais rigorosa, com a implantação do Sistema de Controle Operacional do Trânsito (Sistrans) e a utilização do talonário eletrônico, o que resulta, segundo o instituto, em  menos anulações de multas, pois o sistema produz dados fidedignos ao processo de emissão das autuações.

Infrações como não uso do cinto de segurança e estacionamento em locais e horários proibidos lideraram o ranking, com 26.228 registros, o equivalente a 36,2% do total.

A observação do dia a dia no trânsito da capital permite entender o alto número de multas aplicadas. Nesta semana, a equipe de reportagem foi às ruas e flagrou os principais excessos e ‘barbeiragens’ cometidos pelos condutores, motociclistas, ciclistas e até pedestres.

Na Rua Comendador Clementino, no Centro, nem mesmo os blocos de concreto (tabajaras) utilizados para separar os veículos que trafegam pela Avenida Ayrão conseguem inibir a imprudência no trânsito. Correndo o risco de colidir com um veículo no aclive, um motociclista se aventurava entre os obstáculos para cortar a rua.

As irregularidades no Centro da cidade incluem, ainda, estacionamentos em fila dupla e em locais proibidos pela sinalização. Durante apenas meia hora circulando pela Avenida 7 de Setembro, Rua dos Andradas e Travessa Tabelião Lessa, 13 veículos foram flagrados em fila dupla e estacionados em espaço destinado apenas a paradas, incluindo táxis e uma viatura da Polícia Militar (PM), cujos policiais realizavam compras no entorno da Feira da Manaus Moderna.

De acordo com os dados do Manaustrans, a parada de veículos em fila dupla levou 6.349 condutores a serem multados, neste ano.

Na Avenida Eduardo Ribeiro, próximo à Praça do Relógio, no Centro, carros estacionam em cima da faixa de pedestres. Na Feira da Manaus Moderna, o tráfego de veículos na contramão, na Rua Coronel Sérgio Pessoa, dificultava ainda mais o trânsito já prejudicado pelo fluxo intenso de caminhões que abasteciam as empacotadoras de estivas.

Responsável por 4.130 multas aplicadas, entre janeiro e abril deste ano, o uso do celular ao volante também ocorria livremente, desta vez na Rua Lima Bacuri. Mesmo com o trânsito intenso na via, uma motorista guiava o carro falando ao telefone, naquele trecho.

Conforme o Artigo 252, do Código de Trânsito, o uso do celular ao volante é considerado infração gravíssima.

Na Feira da Banana, na Avenida Lourenço da Silva Braga, uma retroescavadeira, com funcionários da Prefeitura de Manaus a bordo, trafegava na faixa central da pista, desrespeitando o parágrafo 4, do Artigo 29, do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que destina a faixa da direita ao deslocamento de veículos mais lentos e de maior porte, quando a pista de rolamento comportar várias faixas de circulação no mesmo sentido.

O estacionamento de veículos nas esquinas é outro exemplo dos excessos cometidos pelos motoristas da capital. Trafegando pela Avenida Silves, na zona sul, a reportagem flagrou uma viatura da 1ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom),  parada na intercessão da via com a Avenida Presidente Costa e Silva. Conforme o Artigo 181, do CTB, estacionar o veículo nas esquinas configura infração média, penalizada com multa e remoção do veículo.

Com um saldo de 5.552 multas aplicadas, nos quatro primeiros meses deste ano, a conversão à esquerda em local proibido pela sinalização é realizada, normalmente, na Avenida Codajás, em frente a uma policlínica estadual. Na última quarta-feira, um taxista invadia a contramão para retornar de forma irregular.