Gestão de presídios no AM é concentrada em grupo cearense que doou para Melo

Brasília – O mercado de gestão de seis presídios no Amazonas está concentrado na família do presidente da Federação do Comércio do Ceará (Fecomércio-CE), Luiz Gastão Bittencourt, controladora da Umanizzare e da RH  Multi Serviços, conforme matéria publicada, neste domingo (8), pelo jornal ‘O Globo’, que cita os dados levantados pelo DIÁRIO, na semana passada, do pagamento pelo Estado de R$ 1,1 bilhão, desde 2010, para as empresas e das doações desse grupo para campanha do governador José Melo (PROS), em 2014.

De acordo com a matéria, outra empresa do mesmo grupo, a Serval Serviços e Limpeza, que tem como administrador Luiz Fernando Monteiro Bittencourt, filho de Gastão, doou R$ 1,2 milhão para a campanha de Melo e a Auxílio Agenciamento de Recursos Humanos e Serviços também pertencente a Luiz Gastão e Cesar Marques, além de Eliana Bittencourt, mulher de Gastão, doou outros R$ 300 mil para a campanha.

Segundo o jornal, em 2014, também foi criado o Consórcio Pamas, para a gestão e realização de obras em cinco unidades, que venceu a licitação, conforme o DIÁRIO adiantou, no ano passado. Os representantes desse consórcio são Luiz Fernando Monteiro Bittencourt e Regina Celi Carvalhaes de Andrade, sócios da RH Multi e da Umanizzare, respectivamente.

A ligação entre os sócios é detalhada pela reportagem, que aponta para um mesmo grupo controlador. Nos contratos assinados com a Secretaria de Administração Penitenciária do Amazonas (Seap-AM), a RH Multi e a Umanizzare usam o mesmo representante legal: Divino Ronny Resende Júnior, que seria de Goiás. Luiz Fernando e Regina Celi dividem diretamente a sociedade de, pelo menos, uma empresa: a Buon Piatto Alimentação, que foi criada para fornecer, através de subcontratação, comida para presídios administrados pela Umanizzare. O jornal aponta, ainda, a eleição realizada em 2014 para o Sindicato Nacional das Empresas Especializadas na Prestação de Serviços em Presídios e em Unidades Socioeducativas. Em uma das chapas, não só Regina Celi como o próprio Luiz Fernando Bittencourt se apresentavam como representantes da Umanizzare.

O ‘Globo’ cita, ainda, que apesar de ter atualmente o filho como o responsável pelos negócios,   o empresário Luiz Gastão Bittencourt, da Fecomércio-CE, esteve ele próprio mais à frente do negócio de terceirização de gestão de presídios quando o modelo começou a ser adotado no Amazonas. Atualmente, segundo o site da Receita Federal, seus sócios são Luiz Gastão Bittencourt e Cesar Marques de Carvalho, outro empresário que também faz parte da diretoria da Fecomércio-CE, como membro suplente.

Em 2005, essa firma chegou a ficar responsável, também, por três presídios no próprio Ceará, mas o modelo foi perdendo força com o passar dos anos.

O jornal informou que Luiz Gastão Bittencourt não respondeu por estar afastado da Fecomércio-CE, devido a um período de recesso. Já Luiz Fernando Bittencourt, filho de Gastão, procurado através da empresa Serval, também não foi encontrado.