Moradores reclamam de passarela construída por loja para transporte de materiais

Por Patrick Marques


Manaus – Uma passarela ligando duas unidades de uma loja de utensílios domésticos, gerou reclamações de moradores da rua Pensador, bairro Chapada, zona centro-sul de Manaus, nesta segunda-feira (11). O principal receio dos moradores é de que algo venha a cair enquanto um pedestre passe pelo local. Segundo o gerente administrativo da loja, Gelson Schroder, a obra está regulamentada pela prefeitura.

O cabeleireiro José Haroldo, 43, morador da rua Pensador disse que a base da passarela foi colocada no local nesta segunda-feira. Apesar da situação, as estruturas que mantêm a base já haviam sido colocadas há quatro meses, segundo o cabeleireiro.

“Acho isso um perigo para os moradores. Saímos por essa rua todos os dias. Acho que se eles quisessem fazer isso, que comprassem esse pedaço da rua e fechassem aqui de uma vez para não arriscar a vida de algum morador. É muito arriscado alguma coisa cair na nossa cabeça ou até essa estrutura desabar em alguma pessoa ou carro aqui embaixo”, disse José Haroldo.

á o designer gráfico e morador da rua Pensador, Valdenir Rodrigues, 53, disse se sentir indignado ao ver a passarela no local. Segundo ele, a obra havia sido embargada, quando a empresa começou a construir as bases para a passarela.

“Isso não tem proteção nenhuma. Como que você pode interligar uma loja a outra no meio da rua?! Se vier um caminhão mais alto não passa aqui. De repente estão transportando alguma coisa e pode cair em alguém, por não ter nenhuma proteção lateral. Passam crianças aí”, disse Valdenir.

O gerente administrativo da loja, Gelson Schroder, informou que a passarela está em fase de instalação e deve ser concluída ainda no mês de julho. Segundo ele, a estrutura servirá para transporte de materiais entre uma loja e outra. A obra, de acordo com Gelson, está com projeto e certidão aprovados pela Prefeitura de Manaus.

“Conseguimos a autorização no mês de maio. Estamos cumprindo todas as normas exigidas na construção, inclusive de altura e espaço. Ainda não concluímos a obra e não vai ficar do jeito que está. Ainda será feita uma cobertura adequada, será fechada assim como as passarelas que vemos nas ruas da cidade”, informou o gerente administrativo da loja.

A assessoria de imprensa do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), informou que o proprietário tem um processo de aprovação e licenciamento para a construção de uma passarela com 46,6 metros no local. Ainda de acordo com o órgão, uma certidão de autorização foi expedida no dia 10 de maio de 2016, com prazo para execução de 90 dias.

Segundo a assessoria do Implurb, a obra tem engenheiro e arquiteto responsáveis, devidamente citados no processo, com as anotações de responsabilidade técnica. Em razão do uso do espaço público aéreo, o órgão informou que foi feita uma consulta à Procuradoria do Município, para embasamento jurídico da celebração de termo de permissão de uso a título oneroso. Neste caso, o proprietário pagará uma quantia pelo uso do espaço público.