Queda no preço do material de construção reduz valor do metro quadrado no Amazonas

Manaus – O preço do metro quadrado do Amazonas, em maio, sofreu uma pequena redução de 0,41% em relação ao mês anterior. Mas quando se compara a maio de 2015, o consumidor teve que pagar R$ 54,34 a mais, segundo o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado na manhã desta quarta-feira (8).

“O principal motivo dessa redução do metro quadrado, no Amazonas, foi a redução no preço do material de construção. Nessa crise, para alavancar as vendas os comerciantes estão mantendo os preços e também fazendo promoções”, disse o disseminador de informação do IBGE, Adjalma Nogueira Jaques.

As vendas de materiais de construção tiveram uma queda de até 6%, nos cincos meses deste ano, comparado com o mesmo período de 2015, segundo informou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Louças, Tintas, Ferragens e Material Elétrico e de Construção de Manaus (Simacon), Aderson Frota. “Com o desemprego alto, o consumidor está inseguro quanto ao momento econômico do País. A fonte de financiamento também se esgotaram. Ou seja, tudo isso vem contribuindo para a queda nas vendas”, disse, acrescentando que nem nas datas importantes do comércio vem tendo crescimento nas vendas. “Em maio, que é o mês das mães, tínhamos um crescimento de 10% a 40%. Mas esse ano, isso não aconteceu”.

Com o custo do metro quadrado saindo de R$ 935,94 em maio de 2015 para R$ 990,28 após 12 meses, o reajuste no gasto com construção foi de 5,8% para o trabalhador e morador do Amazonas.

Em maio deste ano, a cada R$ 990,28 gasto pelo morador local na construção do metro quadrado, 56,87% ou R$ 563,19 foi comprando materiais, como tijolo, cimento e areia e R$ 427,09 ou 43,12%, com a mão de obra. Em maio de 2015, o gasto com o material de construção saía a R$ 549,30 e a mão de obra, R$ 386,64. Houve um aumento de 2,52% ou R$ 13,89 com o material de construção e também 10,46% na mão de obra ou R$ 40,45.

No Norte do País, o custo da construção no Amazonas foi o mais em conta. Os mais altos, pesquisados pelo instituto, foram em Rondônia, com o custo do metro quadrado de R$ 1.072,84, depois veio o Acre, com R$ 1.081,70 e Tocantins, com R$ 1.039,26.

Demais regiões

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.013,78 (Norte); R$ 926,82 (Nordeste); R$ 1.044,07 (Sudeste); R$ 1.021,76 (Sul) e R$ 998,86 (Centro-Oeste). A Região Sudeste, com 1,67%, ficou com a maior variação regional em maio. As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,29% (Norte), 0,28% (Nordeste), 0,11% (Sul) e 0,56% (Centro-Oeste).