Acesso ao crédito cresce no Amazonas

O Estado teve crescimento acima da média nacional com alta de 6,4%, o equivalente ao volume de R$ 25,5 bilhões. Já a taxa de inadimplência caiu de 4,33% para 3,32%

Beatriz Gomes / redacao@diarioam.com.br

Manaus – As operações de crédito, como cartão de crédito, cheque especial e financiamentos, cresceram 6,4%, em 2018, no Amazonas, totalizando R$ 25,5 bilhões, de acordo com dados divulgados, nesta terça-feira, pelo Banco Central (BC). O aumento corresponde a uma alta de R$ 1,5 bilhão, em 12 meses. No País, o crescimento foi de 5,5%, chegando a R$ 3,26 trilhões.

O saldo de créditos para as famílias foi o que mais puxou o resultado, após uma alta de 8,8%, no ano passado, totalizando R$ 15,1 bilhões. O crédito para as empresas, por sua vez, teve crescimento de 3,1% no mesmo período e alcançou R$ 10,3 bilhões.

No País, o saldo de empréstimos ofertados pelos bancos encerrou 2018 com crescimento de 5,5%, chegando a R$ 3,260 trilhões. Em relação a tudo o que o País produz – Produto Interno Bruto (PIB) -, o saldo do crédito chegou a 47,4%, com crescimento de 0,2 ponto percentual em relação a 2017.

No País, os empréstimos ofertados pelos bancos cresceram 5,5% (Foto: Eraldo Lopes)

O chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, destacou que o crescimento registrado no ano passado encerrou o ciclo de dois anos seguidos de retração no estoque do crédito. Em 2016, a queda chegou a 3,5% e em 2017, em 0,5%.

O saldo do crédito para pessoas físicas chegou a R$ 1,791 trilhão, com crescimento de 8,6% no ano, enquanto o estoque para as empresas chegou a R$ 1,469 trilhão, com expansão de 1,9%.

A expansão do crédito foi conduzida pelas instituições privadas. Os bancos públicos apresentaram retração de 0,5% no saldo de crédito, enquanto os privados registraram crescimento de 12,4%. A participação do crédito concedido pelos bancos privados chegou a 49%, no ano passado, com aumento em relação a 2017, quando estava em 46%.

Inadimplência

O crescimento econômico aumentou a oferta de crédito e diminuiu a taxa de inadimplência, em 2018. No Amazonas, as contas em atraso passaram de 4,33% das operações de crédito, em 2017, para 3,32%, em 2018, uma redução de um ponto percentual.

Destaque para a queda da inadimplência entre as famílias que fechou em 2,87%, em 2018, quase metade da taxa do ano anterior, 4,32%. A inadimplência das empresas também caiu de 4,33%, em 2017, para 3,63%, no ano passado.

Segundo o Banco Central, a taxa de inadimplência caiu no País, em 2018. Entre os consumidores, passou de 3,5% para 3,2%. O índice das empresas caiu de 2,9% para 2,4%. Já considerando os dois grupos, a queda da inadimplência foi maior passando de uma taxa de 3,2% para 2,9%.