Banco da Amazônia está se reestruturando e investe em tecnologia

A instituição financeira está com projetos para facilitar as negociações com empreendedores, que devem ser beneficiados com as mudança

Stephane Simões / Da Redação

Manaus – O Banco da Amazônia está se reestruturando e aposta em investimentos em tecnologia, de acordo com o presidente da instituição, Marivaldo Gonçalves de Melo. Neste ano, foram investidos R$ 126 milhões em tecnologia e, para 2018, a previsão é que sejam investidos R$ 180 milhões.

O Banco da Amazônia está refazendo centrais de créditos, segundo o executivo da instituição (Foto: Sandro Pereira)

Segundo Marivaldo, o Banco da Amazônia está refazendo centrais de créditos, com o objetivo de facilitar as negociações com empreendedores, que devem ser beneficiados com as mudanças.

“Inovação, esta é a palavra. Nosso objetivo principal é o cliente, então queremos facilitar a análise de crédito para estes empreendedores”, disse.

Renegociação de dívidas e geração de emprego

Segundo o presidente, o Banco tem procurado alternativas para recuperar a economia. Em parceria com o Sebrae, na Semana Nacional de Crédito, o Banco da Amazônia promoveu a renegociações de crédito.

Os produtores rurais inadimplentes da região amazônica possuem até 29 de dezembro deste ano para renegociarem suas dívidas. Essa renegociação foi aberta pela Lei 13.340 desde setembro do ano passado a qual permite recalcular as dívidas ou liquidá-las com concessão de rebates que podem chegar a  85% de desconto.

Os bônus aplicados aos contratos, em caso de repactuação, variam de 5% a 85%, porém dependem dos valores contratados e obedecem a uma escala que vai de R$ 15 mil a R$ 500 mil.

O Banco da Amazônia também firmou uma parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) visando à geração de emprego e renda.

“Nós queremos promover o desenvolvimento sustentável, nos colocamos à disposição do estado”, acrescentou.

Executivo foi recebido pelo vice-presidente da REDE DIÁRIO (Foto: Sandro Pereira)

Prêmio

A instituição financeira também é mantenedora do Prêmio Professor Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente.

Constituídos pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) e Banco da Amazônia e unificados em 2009, os prêmios foram criados para propor ações sobre as perspectivas econômicas, científicas, tecnológicas, ambientais, sociais e de empreendedorismo para o desenvolvimento sustentável da Região Amazônica.

As categorias do prêmio Professor Samuel Benchimol são: Projetos de Natureza Ambiental, Projetos de Natureza Econômico-Tecnológica e Projetos de Natureza Social, além do reconhecimento a personalidades que contribuem para o desenvolvimento da região. Já o prêmio Banco da Amazônia abrange duas categorias: Economia Criativa e Economia Verde.