Cesta básica compromete 40% do salário do trabalhador, em Manaus

A diferença da cesta básica da capital amazonense é de apenas R$ 88,32 para a mais cara do País, R$ 446,03, no Rio de Janeiro. O valor dos 12 produtos essenciais somou R$ 357,71

Beatriz Gomes / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O custo da cesta básica de Manaus em maio comprometeu 40,76% do salário do trabalhador que ganha remuneração mínima de R$ 954, após os descontos previdenciários, de acordo com o Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas (Dieese). O valor dos 12 produtos essenciais somou R$ 357,71, no quinto mês do ano, um aumento acumulado de 2,95% e recuo de 0,82%, com relação a abril.

A diferença da cesta básica da capital amazonense é de apenas R$ 88,32 para a mais cara do País, R$ 446,03, no Rio de Janeiro. O município apresentou o décimo quarto valor para o conjunto básico de alimentos entre os 20 pesquisados pelo Dieese.

O feijão foi o produto com a queda mais expressiva, em Manaus, -4,14%, entre abril e maio. Oito produtos também tiveram queda no valor, na mesma comparação, arroz agulhinha (-2,18%), tomate (-1,92%), óleo de soja (-1,88%), pão francês (-1,47%), farinha de mandioca (-1,31%), leite integral (-1,25%), banana (-0,75%) e manteiga (-0,31%). Enquanto os aumentos ocorreram em três itens, açúcar (1,39%), carne bovina (1,13%) e café em pó (0,52%).

Em 12 meses, o preço do feijão carioquinha já caiu 32,45%, o arroz (-22,42%) e o açúcar (-20,65%) também tiveram recuos acima de 20%. Óleo de soja (-15,47%), farinha de mandioca (-10,32%), café em pó (-10,03%), tomate (-5,85%), leite integral (-5,39%) e carne bovina de primeira (-3,09%) foram os outros itens que recuaram de preço, no período que compreende abril de 2017 e maio de 2018, comparado ao mesmo intervalo anterior.

O custo da cesta básica para o sustento de uma família de quatro pessoas (dois adultos e duas crianças, sendo que estas consomem o equivalente a um adulto) foi de R$ 1.073,13, no quinto mês do ano.

Nacional

Em maio, o valor do conjunto de alimentos essenciais aumentou em 18 capitais do País, segundo a pesquisa do Dieese. A cesta mais cara foi a do Rio de Janeiro (R$ 446,03), seguida por Florianópolis (R$ 441,62), São Paulo (R$ 441,16) e Porto Alegre (R$ 437,73). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 327,56) e Recife (R$ 336,36).

O leite, que está em pleno período de entressafra, teve o preço majorado em 18 capitais em maio. O preço do pão francês aumentou em 15 cidades por causa da alta da cotação do trigo e, consequentemente, da farinha, principal insumo do pão. O tomate teve altas de preços em 14 capitais. O clima frio atrasou a maturação do tomate e reduziu a oferta no varejo. Ao contrário de Manaus, em muitas localidades, no final do mês, devido à greve dos caminhoneiros, a oferta diminuiu e o valor aumentou ainda mais.