Codese Manaus terá foco na geração de emprego e renda, diz presidente do conselho

A instituição, que surgiu a partir do projeto 'O Futuro da Minha Cidade', tem o objeto de contribuir com o planejamento da capital do Amazonas nos próximos 20 anos

Eliena Monteiro / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A capital amazonense recebeu, nesta quinta-feira (15), o evento de Apresentação do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (Codese Manaus). A instituição, que surgiu a partir do projeto ‘O Futuro da Minha Cidade’, tem o objeto de contribuir com o planejamento da capital do Amazonas nos próximos 20 anos.

A instituição, que surgiu a partir do projeto ‘O Futuro da Minha Cidade’, tem o objeto de contribuir com o planejamento da capital. (Foto: Heider Betcel/Fieam)

O presidente do conselho, o empresário Antonio Azevedo, destacou que as principais câmaras técnicas deverão ter foco na geração de emprego e renda. Até o momento, o Codese tem nove câmaras técnicas, que poderão mudar conforme a implementação do conselho. As câmaras terão a função de discutir temas ligados ao desenvolvimento de Manaus. A intenção do conselho é fazer com que os membros das câmaras se reúnam periodicamente para discutir soluções para as áreas de atuação.

“Precisamos diversificar nossa matriz econômica. Isso vai ser o maior desafio. Obviamente que as outras câmaras têm que seguir paralelas, porque não se constrói olhando só um eixo. A gente tem que olhar o lado, também da Educação, que potencializa todo esse crescimento. Criamos emprego e agrega valor principalmente nos recursos naturais da Amazônia se nós tivermos massa crítica para transformar matéria-prima em bens de valor agregado, que possam ser exportados, possam ser vendidos e dar ocupação para o nosso povo de Manaus”, disse.

O consultor Silvio Barros, um dos palestrantes do evento, é ex-prefeito de Maringá (PR), cidade que inspirou o projeto ‘O Futuro da Minha Cidade’, ao criar, em 1996, seu conselho de desenvolvimento. Ele destacou as mudanças no modelo de produção no Distrito Industrial para o futuro. “A câmara técnica que vai cuidar do Distrito Industrial tem uma responsabilidade enorme porque, ao longo dos próximos 20 anos, o modelo de produção vai mudar, a realidade da indústria vai mudar e as pessoas que trabalham no Distrito, hoje, terão que ser direcionadas para outra atividade”, ressaltou o consultor.

Para quem tem interesse em participar do Codese Manaus, há duas formas de engajamento: contribuição financeira e trabalho voluntário. Em abril, os membros do conselho devem realizar, na capital, um novo evento para apresentar os avanços da instituição.