Comprar alimentos básicos em Manaus ficou mais caro, diz Dieese

Mesmo com a redução na alíquota do ICMS de 18% para 4% da cesta básica, os preços dos produtos alimentícios subiram 0,25% em maio

a Redação / redacao@diarioam.com.br

O aumento no preço do tomate foi o principal responsável pela alta no valor da cesta básica manauara, segundo a pesquisa. (Foto: Sandro Pereira)

Manaus – Comprar alimentos em Manaus está mais caro. Mesmo com a redução na alíquota do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 18% para 4% da cesta básica, os preços dos produtos alimentícios subiram 0,25% em maio, na comparação com abril, de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Em maio, o consumidor manauara pagou R$ R$ 386,08 pelos 12 itens que compõem a cesta estudada pelo Dieese. No mês anterior, o valor da cesta havia sido de R$ 373,98 .

Para o supervisor técnico do Dieese no Amazonas, o economista Inaldo Seixas, o aumento no valor da cesta mesmo com o ICMS menor é indício de que a redução do imposto não está sendo repassada para o preço final, tanto no varejo quanto no atacado. “Há ICMS nos dois processos”, disse. No dia 22 de março, a Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE) aprovou o Projeto de Lei 03/2017 que reduziu de 18% para 4% a alíquota do ICMS na cesta básica.

No mês passado, o aumento no preço do tomate foi o principal responsável pela alta no valor da cesta básica manauara, segundo o economista. “Como o tomate é responsável por um gasto de mais de R$ 70 por mês, o aumento dele neutralizou a queda de outros oito itens”, disse Inaldo Seixas. O tomate ficou 14,12% mais caro na capital amazonense.

 

Queda e alta no preço dos alimentos

Dos 12 produtos que compõem a cesta básica pesquisa, oito apresentaram queda, três tiveram alta e um se manteve inalterado. Segundo a pesquisa, houve predominância de queda nos preços do feijão, farinha, óleo de soja e banana. Por outro lado, houve aumento do tomate e da manteiga.

O feijão (-11,35%) foi o produto que apresentou maior queda no mês seguido da farinha (-4,36%), do óleo de soja (-4,20%), da banana (-3,51%), do leite (-2,91%), do açúcar (-2,13%), da carne (-1,17%) e do pão (-0,63%). O tomate (14,12%) foi o produto que apresentou maior alta no mês seguido da manteiga (2,02%) e do café (0,31%). O preço do arroz se manteve inalterado.