Fábrica no Distrito Industrial abre suas portas com 270 novas vagas de emprego

A Boreo Indústria de Componentes, subsidiária da Positivo Tecnologia, inicia suas operações com um investimento de R$ 80 milhões e pretende, ao longo do ano, aumentar a quantidade de vagas oferecidas

Stephane Simões / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Com investimento total em R$ 80 milhões, a Boreo Indústria de Componentes, empresa subsidiária da Positivo Tecnologia, iniciou, oficialmente, suas atividades na manhã desta terça-feira (26). A nova empresa tem capacidade nominal para inserção de 1,1 milhão de componentes por hora. A Boreo atenderá a Positivo Tecnologia e sua marcas – Positivo, Quantum e Vaio -, abrindo demandas para o mercado.

O evento contou com Hélio Bruck Rotenberg, presidente da Positivo Tecnologia (Foto: Sandro Pereira)

A fábrica está localizada no Distrito Industrial 1 e vai empregar, de imediato, 270 colaboradores. Segundo o presidente da Positivo Tecnologia, Hélio Bruck Rotenberg, a expectativa é que, com o crescimento da economia, a empresa passe a somar mais de 2 mil empregos nas duas fábricas que atuam na Polo Industrial de Manaus.

“Hoje, nós estamos gerando 1.200 empregos com nossas duas fábricas. A fábrica de componentes nasce com 270 pessoas trabalhando, isso ainda tímido, porque o crescimento da economia está retraído”, disse o presidente.

De acordo com a superintende-adjunta da (Suframa), Paula Soares, a nova fábrica gerou 320 empregos diretos e 1.500 empregos indiretos. Para um momento de crise, o investimento da Positivo Tecnologia, no modelo Zona Franca, têm sido favorável.

“Em um momento em que a Zona Franca vem se recuperando, o grupo Positivo acreditou nos incentivos e inaugurou esta nova fábrica, gerando emprego e renda para o Estado”, acrescentou.

Aplicativo

Durante a inauguração da nova fábrica, o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) lançou um aplicativo que auxiliará nos chamados da corporação. O Sistema de Aplicativo de Chamada de Emergência (Sace) foi desenvolvido por um oficial do CBMAM, que tem experiência na área de emergência.

Os três pilares principais do aplicativo são as chamadas de emergência, gerenciamento da emergência e o atendimento, procurando diminuir o tempo resposta e ajudando na localização da ocorrência. Além de fugir do trotes recebidos pela corporação, o que acaba gerando filas nas linhas telefônicas.