Lançamentos imobiliários seguem em queda como resultado das devoluções

Estadão Conteúdo


São Paulo – O mercado imobiliário nacional teve queda nos lançamentos e nas vendas em junho, ainda pressionado por volume elevado de distratos, de acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A pesquisa considera dados fornecidos por 19 incorporadoras de grande porte, de diversas regiões, e associadas à Abrainc.

 Os lançamentos de imóveis, em junho, atingiram 10,2 mil unidades, queda de 10,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Já as vendas chegaram a 10,3 mil unidades, recuo de 10,8% na mesma base de comparação.

 No acumulado dos seis primeiros meses do ano, os lançamentos totalizaram 31,6 mil unidades, crescimento de 10,4% em relação aos mesmos meses do ano passado. As vendas chegaram a 49,8 mil unidades, queda de 13,9% na comparação entre os mesmos períodos

 O estoque no fim de junho totalizou 117,5 mil unidades, o que representa alta de 2,3% em relação a maio e alta de 10,3% em relação a junho do ano passado.

 A velocidade de vendas – que considera o número de unidades comercializadas ante o estoque total – foi de 8,3% em junho, expansão de 1,1 ponto porcentual em relação a maio e queda de 1,4 ponto porcentual em relação a junho do ano passado. Com essa liquidez, seriam necessários 12,1 meses para realizar a venda integral desse estoque.

O vice-presidente executivo da Abrainc, Renato Ventura, destaca que o setor é bastante impactado pela confiança dos compradores e das empresas. “Esta confiança está começando a voltar, mas ainda é baixa”, afirma o executivo. “Há momentos de baixa na atividade e em seguida recuperação”, disse.