Metalúrgicos e empresas seguem sem consenso sobre reajuste

Por Laís Motta


Manaus – A três dias da data-base dos trabalhadores da indústria, os sindicatos dos empregados e das empresas ainda não chegaram a um consenso. Paralisações pontuais em fábricas não estão descartadas, de acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal).

Segundo o presidente da entidade, Valdemir Santana, as empresas metalúrgicas e eletroeletrônicas ofereceram reajuste de 5%, índice que não cobre a inflação. “Não vamos aceitar. Já rejeitamos essa proposta. Vamos fazer uma assembleia para oficializar que não vamos aceitar essa proposta”, disse Santana.

O presidente do Sindicato da Indústria de Aparelhos Eletro Eletrônico e Similares de Manaus (Sinaees), Celso Piacentini, disse que não iria informar o percentual proposto pelo segmento, mas descartou que o reajuste oferecido seja de 5%. “Ele (Santana) falou bobagem. Nós ainda estamos negociando. Existe um ritual, mas não foi oferecido nada ridículo. Não foi isso que foi falado a eles”, afirmou.

As reuniões para tratar o reajuste são diárias e seguem em processo ‘normal’, segundo Piacentini. O representante da indústria, no entanto, falou que o segmento eletroeletrônico não tem como prática repassar reajuste inferior à inflação. “Se pegar os últimos reajustes dados pelo sindicato, vai ver que sempre cobrimos a inflação. Os 5% é uma piada”, disse o presidente do Sinaees.

Santana afirma que a categoria trabalhadora não aceitará percentual inferior as perdas salariais. “É um absurdo não dar nem a inflação. Vamos aguardar mais uma proposta. Mas em outra assembleia que fizemos decidimos que não vamos aceitar reajuste menor que a inflação”, afirmou.

Reivindicação

Os trabalhadores, inicialmente, pediram a reposição de 9,3% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de agosto de 2015 a julho de 2016, mais 3% de ganho real. Após as primeiras conversas com as empresas, os representantes dos trabalhadores da indústria Eetroeletrônica, Duas Rodas e Meios Magnéticos do Polo Industrial de Manaus (PIM), aceitaram baixar o pedido para a reposição de INPC e 2% de ganho real.

O Sindmetal representa até 80 mil trabalhadores dos setores Eletroeletrônico, Duas Rodas e Meios Magnéticos do PIM, com data base na próxima segunda-feira, 1º de agosto.