Nova campanha do Dia da Liberdade de Impostos terá participação de 200 lojas

O movimento é coordenado pela Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem de Manaus e ganhou a adesão de dois shoppings. Os lojistas que aderirem vão vender os produtos sem o peso dos impostos

Beatriz Gomes

Manaus – Na próxima quinta-feira (24), acontece, em Manaus, o Dia da Liberdade de Impostos (DLI), uma ação com o objetivo de conscientizar a população sobre a alta carga de impostos incidente nos produtos. O movimento é coordenado pela Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem de Manaus (CDL Jovem Manaus) e ganhou a adesão de dois shoppings da capital. A expectativa é que mais de 200 lojas participem concedendo descontos em produtos correspondentes aos tributos que incidem sobre eles.

Lojistas querem mostrar quanto o consumidor paga em tributos (Foto: Sandro Pereira)

O coordenador da CDL Jovem Manaus, Luiz Eduardo Leal, destaca que a campanha, antes realizada somente em postos de combustíveis e, nos últimos dois anos, em apenas um shopping da cidade, neste ano, será realizada nos dois tradicionais e mais acessíveis centros de compras. “Nós queremos mostrar para a população o tamanho da carga tributária através do desconto proporcional ao imposto, então durante a semana nós vamos ter ações com os parceiros e no dia 24, a grande ação nos shoppings”, disse.

O presidente da CDL Manaus, Ralph Assayag, ressalta que o DLI é importante para informar os consumidores que a cada ano a carga tributária do governo aumenta.

Na última quinta-feira (17), aconteceu o lançamento da campanha na sede da CDLM com a presença dos superintendente do Amazonas Shopping e do Manauara. A estimativa é que o evento atinja, aproximadamente, 100 mil pessoas.

No Amazonas Shopping, cada loja participante irá disponibilizar, pelo menos, cinco produtos sem impostos. Mais de 50% das lojas confirmaram participação na campanha, segundo o superintendente Rodrigo Vabo. “É uma grande satisfação participarmos mais uma ano do DLI, dando esse apoio ao nosso grande cliente que é o lojista. Evidenciando sobre a alta carga tributária que incide sobre os nossos produtos”, enfatizou

O Manauara Shopping aposta no aumento de até 50% nas vendas no dia 24, quando será realizada a campanha. “A nossa percepção é que este evento vem ganhando força a cada ano. Esperamos que 80% das nossas lojas participem e que estejam engajadas nessa campanha. Acreditamos que as vendas aumentem até 50% nesse dia. Quase um novo Natal e um novo Black Friday”, afirmou.

Os dois shoppings funcionarão em horário especial neste dia, das 10h às 23h. Para ter acesso às lojas participantes, o consumidor pode baixar o aplicativo Twain, que irá disponibilizar, além dos estabelecimentos participantes, os produtos, preços, e o valor abatido nos itens.

Todas as lojas participantes da campanha estarão identificadas com adesivos e informativos contendo os produtos sem a cobrança dos impostos.

Impostos no Amazonas já somam R$ 11,2 bilhões no ano

Do início do ano até o fim deste domingo, o contribuinte do Amazonas terá pago R$ 11,2 bilhões em tributos federais, estaduais e municipais, de acordo com o Impostômetro, ferramenta da Associação Comercial de São Paulo. O valor é R$ 800 maior do que o mesmo período do ano passado. O volume pago entre 1º de janeiro a 20 de maio de 2018 só foi atingido 12 dias depois, no ano passado, em 1º de junho.

No mesmo período, os contribuintes de Manaus terão desembolsado R$ 500,8 milhões em tributos municipais.
Quando considerada a população do Estado, que em 2017 chegou a um total de 2,1 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o cálculo chega a R$ 5.261 de impostos por habitante.

Os brasileiros também pagam uma parcela alta de tributos nos produtos que consomem, alguns deles chegam a mais de 80% do valor, como em algumas bebidas alcoólicas e quase 50% na conta de energia (48,28%).

Segundo o Impostômetro, mais da metade do preço da gasolina é tributo (61,95%), em jogos de video game incidem 72% de impostos. Já o smartphone importado possui 68,7%. Enquanto que no valor do tênis nacional são 44% de impostos, o mesmo importado leva 58,5%. Vestuários como calça jeans (38,5%), camisa (34,6%) e sapatos (36,1%) têm mais de um 1/3 do preço final impactados pelos tributos.