Pagamento do seguro-desemprego beneficia 36 mil no Amazonas, até abril

Nos primeiros quatro meses de 2017, o Ministério do Trabalho liberou 40% do valor do seguro-desemprego pago em todo o ano passado

Beatriz Gomes/redacao@diarioam.com.br

Liberação O Sine/AM emitiu 61,45% do total do benefício, seguido pelo Sine Manaus, com 27,7% do total. Foto: Divulgação/Marinho Ramos

Manaus -O Amazonas emitiu 36,5 mil solicitações de seguro-desemprego até abril de 2017, segundo os dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O montante já chegou a 40% do resultado de todo o ano passado quando foram emitidos 93,6 mil benefícios no Estado. As regras para o pagamento do benefício mudaram esse ano.

A maior parte dos benefícios foram emitidos pelo Sistema Nacional de Emprego do Amazonas (Sine/AM), 61,45%, seguido pelo Sine Municipal com 27,7% das emissões.

Dos 36,5 mil benefícios, os trabalhadores do setor de Serviços foram responsáveis por 33,3% dos requerimentos ou 12,1 mil, enquanto os do Comércio respondem por 29,6% ou 10,8 mil, e os da indústria correspondem a 24,7% ou 9 mil segurados.

Os pagamentos do seguro-desemprego esse ano totalizaram R$ 359,4 milhões com 292,1 mil parcelas emitidas, o valor corresponde a 44% do que foi emitido no ano passado, R$ 820 milhões em 705,4 mil parcelas.

Manaus responde 98% dos benefícios emitidos, seguido por Iranduba (a 27 quilômetros a sudoeste de Manaus) com 154 emitidos.

O seguro-desemprego é um benefício integrante da seguridade social que tem por objetivo, além de prover assistência financeira temporária ao trabalhador desempregado sem justa causa, auxiliar na manutenção e na busca de emprego, promovendo ações integradas de orientação, recolocação e qualificação profissional.

O trabalhador no período que estiver recebendo o seguro-desemprego, não pode receber outra remuneração oriunda de vínculo empregatício formal ou informal.

Para dar entrada no benefício, o trabalhador dispensado sem justa causa recebe do empregador o Requerimento do Seguro-Desemprego devidamente preenchido. Duas vias desse formulário devem ser levadas a um posto de atendimento do Ministério do Trabalho e Emprego, junto com outros documentos, como Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e os dois últimos contracheques.

Após as mudanças implementadas no início desse ano, na primeira solicitação, o trabalhador deve comprovar vínculo empregatício de no mínimo um ano e no máximo de 23 meses para receber quatro parcelas, acima de 24 meses, o benefício é pago em cinco parcelas. Na segunda solicitação, o trabalhador precisa comprovar no mínimo nove meses de vínculo e no máximo 11 meses, para receber três parcelas.

O valor do benefício é de no mínimo o valor de um salário-mínimo, ou R$ 937.