Para Fecomércio, cai o nível do estoque no varejo de Manaus

Por Beatriz Gomes


Manaus – O nível do estoque do comércio varejista de Manaus, em junho, ficou 7,12% abaixo de igual mês do ano passado. De acordo com a pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Amazonas (Fecomércio-AM), as vendas recuaram 2,35% no sexto mês do ano, em comparação a 2015.

Quando comparado a maio deste ano, o nível dos estoques elevou 1,10%, puxado pelo comércio de bens não duráveis que aumentou em 3,61% seus estoques de maio para junho. Entre os bens não duráveis, estão os gastos com supermercado, farmácia, drogarias e perfumaria, além de combustíveis e lubrificantes.

Já com relação a junho do ano passado, os estoques de bens não duráveis caíram em média 12,85%. A pesquisa destaca que os resultados indicam recuperação no comércio de bens não duráveis e materiais de construção (2,41%) em relação a maio.

A empresa precisa estar preparada para atender todos os clientes, ressalta o estudo da Fecomércio-AM. “Sem imobilizar demais o seu capital, mas, ao mesmo tempo, ter estoques que possam garantir as vendas e repor os produtos para o consumo do dia a dia”, aponta o levantamento.

O faturamento bruto do comércio varejista de Manaus caiu 0,55%, quando comparado a maio deste ano, em parte, devido à queda de 9,24% no comércio automotivo. Na comparação em relação a junho de 2015, a variação geral também foi negativa, com queda de 3,16%, influenciado pelo recuo de 8,28% no índice do comércio de materiais de construção.

Na análise da série histórica, com exceção do comércio de bens duráveis, semiduráveis e materiais de construção, todos os outros apresentaram variação negativa nos índices, na comparação com os últimos meses.

Assim como o faturamento, as vendas brutas do comércio varejista de Manaus apresentaram leve queda de 0,07% em relação a maio deste ano, em parte, devido à queda de 1,46% no comércio automotivo. Na comparação em relação a junho do ano passado, o índice geral também foi negativo em 2,35%, principalmente pela queda de 8,15% no índice do comércio de materiais de construção.

Formas de pagamento

Segundo a pesquisa, 60,7% das compras no comércio varejista de Manaus foram realizadas com pagamento à vista, destaque para bens não duráveis que obteve em 70% das compras pagamento à vista. No geral, 28,8% foi feito por meio de cartão de crédito e 10,5%, por outras formas de pagamento.