Preço da banana tem alta de 8,8% na cesta básica, em Manaus, diz Dieese

Dados mostram que a cesta básica, na capital amazonense, ficou R$ 00,57 mais cara, em fevereiro. Cinco produtos apresentaram alta e sete tiveram queda

Édria Caroline / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Os manauaras gastaram um pouco mais, no mês de fevereiro, com produtos alimentícios. O custo da cesta básica de Manaus aumentou R$ 00,57, em relação ao mês anterior, ficando em R$ 357,05. As informações foram divulgadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A banana foi o produto que apresentou maior alta no mês, de 8,80%.

O preço da cesta básica de Manaus, composta por 12 produtos, teve variação de 0,16% em relação ao mês de janeiro. No mês anterior o conjunto de itens alimentícios essenciais custava R$ 356,48. Mas diminuiu em relação a fevereiro do ano passado, em que a cesta básica chegou a custar R$ 375,44.

A banana (8,80%) foi o produto que apresentou maior alta no mês (Foto: Divulgação)

Com o aumento do valor da cesta, Manaus passa a ocupar a 14° colocação no ranking das cestas, dentre as 20 capitais onde é realizada a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. Cinco produtos apresentaram alta e sete tiveram queda no mês analisado, influenciando o custo total da mesma que ficou 0,16% mais cara no mês.

A banana (8,80%) foi o produto que apresentou maior alta no mês, seguido da farinha de mandioca (4,32%), do açúcar (3,74%), do pão (1,24%) e do feijão (0,19%). O arroz (- 3,62%) foi o produto que apresentou maior queda no mês seguido do café (-3,14%), do óleo de soja (-2,82%), da manteiga (-2,37%), da carne (-2,25%), do leite (-1,86%) e o do tomate (- 0,99%).

O custo da cesta básica para o sustento de uma família de quatro pessoas, em Manaus, (dois adultos e duas crianças, sendo que estas consomem o equivalente a um adulto) foi de R$ 1.071,15 durante o mês de fevereiro de 2018. Esse valor equivale a aproximadamente 1,12 vezes o salário mínimo bruto, fixado pelo governo federal em R$ 954,00. No mês anterior, o custo da cesta básica para esta mesma família era menor e foi de R$ 1.069,44, 1, ou seja, 12 vezes o salário mínimo bruto.

Nacional

Em fevereiro, o custo do conjunto de alimentos essenciais diminuiu em 13 capitais e aumentou em sete. As reduções mais expressivas ocorreram em João Pessoa (-3,96%), Natal (-3,20%) e Campo Grande (-2,98%). As maiores taxas positivas foram anotadas nas cidades de Belém (3,37%) e Fortaleza (2,03%).

A cesta mais cara foi a do Rio de Janeiro (R$ 438,36), seguida por São Paulo (R$ 437,33), Porto Alegre (R$ 434,50) e Florianópolis (R$ 425,05). Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 336,59) e Aracaju (R$ 341,59).

Em 12 meses, entre fevereiro de 2017 e o mesmo mês de 2018, os preços médios da cesta caíram em 13 cidades. Merecem destaque as reduções observadas em Manaus (-4,90%), Goiânia (-4,25%) e Belém (-4,10%). As altas foram registradas em sete cidades e as mais expressivas ocorreram em Recife (3,49%) e Rio de Janeiro (3,25%). Nos dois primeiros meses de 2018, todas as cidades apresentaram taxa positiva. As maiores foram observadas em Fortaleza (7,63%), Brasília (7,61%) e João Pessoa (7,47%) e as menores em Aracaju (0,46%) e Goiânia (0,96%).