Produção industrial do AM tem alta de 4%, aponta pesquisa do IBGE

Paralisação dos caminhoneiros fez a produção recuar de abril para maio, mas na comparação com maio de 2017, o desempenho ainda foi positivo no Polo Industrial de Manaus

Beatriz Gomes e Agências

Manaus – Com uma redução de 4,1%, a indústria do Amazonas obteve a segunda menor queda na produção, na passagem de abril para maio, segundo a pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com relação a maio do ano passado, o Estado obteve o segundo maior crescimento, 4,5%, atrás apenas do Pará (6%). Já no acumulado dos cinco primeiros meses do ano, 17,9%, e nos últimos doze meses, 10,4%, o Estado contou com os maiores avanços do País.

Na comparação com abril, o Amazonas teve a segunda maior queda. (Foto: Eraldo Lopes)

Na comparação entre abril e maio, 14 dos 15 locais pesquisados recuaram, refletindo os efeitos da paralisação dos caminhoneiros. O Pará foi o único que teve alta na produção no período de 9,2%, enquanto o Espírito Santo retraiu 2,3% e o Amazonas 4,1%. Na produção industrial do País, a média foi de 10,9% de retração na produção industrial.

Quando comparada a maio de 2017, a indústria amazonense mostrou aumento de 4,5% em maio de 2018, com sete das dez atividades pesquisadas apontando taxas positivas nessa comparação. Entre as atividades do PIM que tiveram melhor desempenho no mês, destaque para: outros equipamentos de transporte (motocicletas peças e acessórios) com 29%, extrativos (coque e derivados de petróleo) com 13,5% e máquinas e equipamentos com 7,5%. Bebidas (-5,0), Borracha e plástico (-15,5%) e máquinas e aparelhos elétricos (-13,4%) foram as três atividades da indústria local que apresentaram queda na produção, no mês.

No acumulado de janeiro a maio, o Estado ainda acumula o maior crescimento, 17,9%, e nos últimos doze meses, 10,4%. O IBGE destaca ainda que, no resultado desse mês, houve a influência tanto dos efeitos da paralisação dos caminhoneiros, como do efeito-calendário, já que maio de 2018 (21 dias) teve um dia útil a menos do que maio de 2017 (22).

Na comparação com maio do ano passado, a produção recuou em 12 dos 15 locais pesquisados, com destaque para Goiás (-15,7%). Tiveram alta apenas os Estados do Pará (6%), Amazonas (4,5%) e Rio de Janeiro (0,9%).

No acumulado do ano, no entanto, a indústria teve desempenho positivo em oito locais. A principal alta foi observada no Amazonas (17,9%). Sete locais tiveram queda, sendo o Espírito Santo o Estado com maior recuo (-5,1%).

Já no acumulado de 12 meses, o desempenho da indústria se mostra melhor, ao registrar alta em dez dos 15 locais, com destaque, mais uma vez, para o Amazonas (10,4%). Dos cinco locais em queda, Espírito Santo também obteve o pior resultado (-1,9%).