Vendas de veículos novos no Amazonas têm queda de 34%, aponta Fenabrave

Por Beatriz Gomes


Manaus – A venda de veículos novos no Amazonas caiu 34,74%, em julho, na comparação com julho do ano passado. Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), no sétimo mês do ano foram comercializados 2,9 mil veículos entre automóveis de passeio, comerciais leves, motos, caminhões e ônibus contra 4,4 mil de julho de 2015.

Quando comparado a junho, as vendas de veículos caíram 9%. Os automóveis de passeio e os comerciais leves respondem por 57% das vendas no Amazonas, enquanto as motos são 42% do total.

As vendas de automóveis de passeio no Estado caíram 33% em julho na comparação com igual mês do ano passado e 14,4% com relação a junho desse ano. Já os automóveis de passeio e comerciais leves tiveram quedas de 34% e 11,37% nas mesmas comparações, respectivamente.

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, a comercialização de veículos caiu de 31,31%, em relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto, de janeiro a julho foram 21,1 mil veículos vendidos, no mesmo período de 2015, foram 30,8 mil.

Automóveis de passeio e comerciais leves tiveram quedas de 28,3% e 40,14%, respectivamente. As vendas de motos caíram 30,4% nesse mesmo período.

Mais vendidos

A CG 160 da Honda foi a moto mais vendida em julho no Amazonas. Em seguida, aparecem a NXR 160, BIZ, POP 110i e a CG 125, ambas da mesma marca.

Entre os automóveis de passeio, o Onix e o Prisma, ambos da Chevrolet, disputam a preferência dos consumidores do Amazonas, seguidos pelo HB20S da Hyundai, o Gol da Wolkswagen e o HB20 da Hyundai.

A concorrência entre os modelos de comerciais leves é mais acirrada com o Toro da Fiat despontando na preferência dos consumidores do Amazonas, em segundo a S-10 da Chevrolet, Saveiro da Volkswagen, Strada da Fiat e Montana da Chevrolet.

Nacional

A venda de veículos novos, em todo o País, caiu 20,29% em julho, na comparação com julho do ano passado. No mês passado, foram comercializados 181.416 unidades, contra 227.606 unidades em julho de 2015. Em relação a junho, houve alta de 5,59%. No acumulado, foi registrada queda de 24,68% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Considerando todo o setor, que inclui motocicletas e implemento rodoviário, houve alta de 3,09%, em julho em relação a junho. No comparativo com julho do ano anterior, foi registrada queda de 22,06%. A limitação do crédito à população de baixa renda, principal consumidora de motocicletas, têm prejudicado o setor.