Venezuelanos que moram no AM fazem remessas de recursos para familiares na Venezuela

Por Laís Motta


Manaus – A crise econômica que atinge fortemente a Venezuela tem feito cidadãos daquele país buscarem em Manaus a fonte de renda para enviar recursos para seus familiares, obtidos com a atividadede ambulante. As remessas têm valor médio de R$ 500 e tendem a aumentar com a situação financeira do País vizinho, apontam as casas de câmbio.

O envio de recursos para a Venezuela estava restrito há dois meses, segundo o gerente da Fitta Câmbio e Turismo, Josué Correa. “O envio estava restrito por causa do bloqueio econômico contra a Venezuela, por causa da crise lá”, disse Correa.

As quantias enviadas por venezuelanos são de, em média, R$ 500 e tendem a crescer com a liberação das remessas. “A tendência é continuar crescendo. Essas quantias servem até para os outros saírem de lá”, avaliou o gerente da Fitta.

A crise econômica na Venezuela é considerada grave. A inflação anual deve ultrapassar os 700% e o País sofre com o desabastecimento de alimentos e de itens de higiene. Em maio, o presidente venezuelano Nicolás Maduro declarou Estado de Exceção e Emergência Econômica por 60 dias em todo o território nacional. A medida permite ordenar o desembolso de verbas extraorçamentárias e aprovar contratos para a obtenção de recursos financeiros sem se submeter a autorizações ou aprovações de outros poderes públicos.

Além da procura pelas casas de câmbio para trocar o real pelo bolívar, a moeda local, e enviar dinheiro para a família, os venezuelanos tem trocado o real pelo dólar. “Eles têm dito que compensa mais trocar o dólar pelo bolívar e saem à procura da melhor cotação”, disse o gerente da Multi Câmbio, Daniel Maio, destacando que a tendência é haver evolução na remessa de recursos por parte dos venezuelanos graças à crise do País.

Não são todos os venezuelanos que conseguem recursos para mandar para a família no País natal, segundo o padre Valdecir Molinari,  um dos coordenadores da Pastoral do Migrante. “A situação do desemprego está presente pra todo mundo. Tem alguns que estão conseguindo juntar dinheiro, mas através do trabalho informal. A maioria, por enquanto, só busca se manter aqui. A situação está bastante delicada”, disse Molinari.

Segundo o padre, muitos venezuelanos já estão desanimados com a decisão de buscar renda em Manaus, pela dificuldade em achar emprego. A pastoral  não tem dados de quantos venezuelanos já vieram para Manaus, em 2016.