Após 8 meses, governo publica foto oficial de Michel Temer como presidente

Estadão Conteúdo / portal@d24am.com

Brasília – Após oito meses no governo, o presidente Michel Temer finalmente resolveu publicar a foto com a faixa presidencial. A versão divulgada hoje foi feita no dia 20 de dezembro pelo fotógrafo Orlando Brito. Ela é a segunda opção apresentada ao presidente. A primeira foi fotografada também por Brito em outubro do ano passado, mas não agradou. Na comparação entre a primeira e a segunda imagem só foi mudada a gravata, que acabou substituída por outra bem parecida.

O publicitário Elsinho Mouco ficou responsável pelo conceito da foto oficial. É dele a ideia de colocar um cenário sóbrio de céu azul ao invés do fundo arbóreo no Palácio do Alvorada, como era a foto de Dilma Rousseff. Elsinho também fez questão de destacar as palavras ‘ordem e progresso’ na bandeira nacional que se destaca à direita de Temer. Segundo ele, é a primeira vez que a bandeira compõe a foto presidencial e ela retrata o desejo de Temer de “colocar o País nos trilhos”.

Para chegarem ao cenário escolhido, Elsinho Mouco pesquisou registros de todos os ex-presidentes e extraiu detalhes de cada um deles, quem usou traje de gala, quem optou por usar a faixa no ombro esquerdo, os que sorriram e os que ficaram sérios. Juntos, o publicitário e o presidente definiram como seria esta imagem. No primeiro registro, no feriado de 12 de outubro, Temer havia recebido o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso no Palácio do Jaburu e a agenda apertada de compromisso não permitiu dedicar mais tempo para a fotografia. Eles não gostaram do resultado e remarcaram a sessão.

Na segunda ocasião, em meados de 20 de dezembro, a equipe saiu satisfeita com a qualidade do trabalho, que durou cerca de uma hora, também tirada na residência oficial de vice-presidente, mas decidiu não revelar a imagem naquele momento. O País estava comovido com a queda do avião com atletas da Chapecoense. As fotos podem ser espalhadas em gabinetes da Esplanada, mas o Planalto ainda não confirmou quando.