Cinema francês de volta às telas barés

De volta à capital amazonense, após um ano, Festival Varilux terá 19 filmes na programação

Da Redação / plus@diarioam.com.br

Estrelado por Catherine Deneuve e Françoise Dorléac, ‘Duas Garotas Românticas’ (1967) é o clássico desta edição (Foto: Divulgação)

Manaus – Neste mês, o Festival Varilux de Cinema Francês retorna a Manaus, após um hiato de um ano, com uma programação de 19 produções inéditas nos cinemas brasileiros, incluindo um documentário e um clássico.

Entre os dias 8 e 21 de junho, o público poderá conferir os mais recentes trabalhos de Catherine Deneuve, Gérard Depardieu, Juliette Binoche, Marion Cotillard, Guillaume Canet e Cécile de France. Outro destaque é a última atuação de Emmanuelle Riva, falecida em janeiro último, em ‘Perdidos em  Paris’.

Nesta edição, 55 cidades receberão o festival pelo Brasil. Em Manaus, a exibição acontecerá exclusivamente no Cinépolis do Shopping Ponta Negra (Av. Coronel Teixeira, 5.705, Ponta Negra).

Serão duas sessões diárias, dentro da programação do projeto Cinema de Arte: às 19h30 e às 21h30. Os preços da entrada serão os cobrados normalmente no complexo.

 

Os filmes

‘Uma agente muito louca’ (Raid Dingue), de Dany Boon (2017)

‘Amanhã’ (Demain), de Cyril Dion e Mélanie Laurent (2015)

‘Na cama com Victoria’ (Victoria), de Justine Triet (2016)

‘Coração e alma’ (Réparer les vivants), de Katell Quillévéré (2016)

‘Uma Família de Dois’ (Demain tout Commence), de Hugo Gélin (2017)

‘O Filho Uruguaio’ (Une Vie Ailleurs), de Olivier Peyon (2017)

‘Frantz’, de François Ozon (2017)

‘Um Instante de Amor’ (Mal de Pierres), de Nicole Garcia (2016)

‘Perdidos em Paris’ (Paris pieds nus), de Fiona Gordon, Dominique Abel (2017)

‘Um Perfil para Dois’ (Un Profil pour Deux), de Stéphane Robelin (2017)

‘O Reencontro’ (Sage Femme), de Martin Provost (2017)

‘Rock’n roll – Por trás da fama’, de Guillaume Canet (2017)

‘Rodin’, de Jacques Doillon (2017)

‘Tal mãe, tal filha’ (Telle mère, telle fille), de Noémie Saglio (2017)

‘Tour de France’, de Rachid Djaïdani (2016)

‘Na vertical’ (Rester Vertical), de Alain Guiraudie (2016)

‘A viagem de Fanny’ (Le Voyage de Fanny), de Lola Doillon (2016)

‘A vida de uma mulher’ (Une vie), de Stéphane Brizé (2016)

‘Duas garotas românticas’ (Les demoiselles de Rochefort), de Jacques Demy e Agnès Varda (1967)