Começam as visitas em domicílios para coletar dados da infestação do Aedes aegypti

Com informações de assessoria / portal@d24am.com

Manaus – A partir desta segunda-feira (23), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) começa o levantamento do índice de infestação pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor do zika vírus, da febre chikungunya e dengue. A ação consiste na visitação dos agentes de saúde aos domicílios na cidade de Manaus, com a finalidade de identificar e coletar larvas, bem como eliminar os potenciais criadouros do mosquito.

A atividade será executada em conformidade com as normas do Ministério da Saúde (MS), com duração média de 15 dias úteis e previsão de conclusão dos trabalhos para o próximo dia 10 de fevereiro.

A estimativa é que sejam visitados no período aproximadamente 28 mil imóveis em todos os bairros do município de Manaus, na ação que envolve cerca de 300 profissionais, entre Agentes de Controle de Endemias (ACEs), motoristas, supervisores, coordenadores e outros servidores da Semsa.

“A população é nossa maior aliada na ação de combate ao Aedes aegypti. Ela já entendeu que esta é uma ação de responsabilidade coletiva, sem estar restrita apenas ao setor da saúde, uma vez que a maioria dos criadouros detectados do mosquito encontra-se em ambiente doméstico, ou seja, nas residências. Bastam dez minutos de inspeção semanal de cada morador no seu quintal, nos locais onde estão guardados objetos nas residências, para que todos possam contribuir na luta contra o Aedes”, explica o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

Orientação

Para o tratamento de potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti, a Semsa utilizará o larvicida Spinosad, que tem como ingrediente ativo, o Espinosade, produto derivado da fermentação biológica da bactéria Saccharolpolyspora spinosa, de ocorrência natural do solo. Sob forma de pastilhas e com duas camadas, o Espinosade age de maneira rápida na despolarização dos neurônios causando paralisia e morte da larva.

De forma simultânea, os agentes de controle de endemias realizarão ações de educação em saúde nos domicílios visitados. Por meio da mobilização a população manauara será orientada quanto aos sinais e sintomas das doenças transmitidas pelo mosquito, as formas de prevenção para minimizar os riscos e combater os focos propícios para a criação e reprodução do Aedes aegypti.

Diagnóstico

O diagnóstico clínico será dado por meio de avaliação do quadro, realizado por profissional de saúde habilitado. A orientação de técnicos e especialistas é que, surgindo qualquer sintoma suspeito, busque-se uma unidade básica de saúde a fim de que profissionais possam atender e orientar a população sobre os exames e tratamento necessários, além de notificar o caso para que possam ser desencadeadas as ações adequadas de controle.

O mosquito Aedes aegypti é o vetor transmissor do zika vírus, responsável pela microcefalia, doença que atinge crianças cuja mãe teve histórico de infecção pelo vírus durante a gestação, além dos quatro sorotipos de dengue (DEN 1, 2, 3 e 4) e também o vírus chikungunya.

 

Comentários via Facebook