Em Iranduba, policiais são mortos em confronto com traficantes

Thiago Monteiro /Diário do Amazonas


Manaus – O investigador da Polícia Civil Genelson Carlos Duarte Mota, 46, e o sargento da reserva Rubenicio da Silva Alexandre, 59, foram mortos a tiros, por volta das 17h30 de terça-feira (25), em tiroteio com dois  traficantes da Colômbia, nas proximidades da Ilha da Paciência, em Iranduba (distante a 27 quilômetros de Manaus). Segundo o delegado Ricardo Homero, da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), uma testemunha, que não teve o nome divulgado, sobreviveu ao tiroteio e 100 pacotes de maconha, tipo ‘skunk’, foram apreendidos.

“O investigador foi atender uma ocorrência e não pediu apoio. Ele (Genelson) era uma pessoa dedicada e aguerrida. Somente pediu ajuda de ribeirinhos e morreu em confronto com traficantes”, disse o delegado Ricardo Homero.

Na tarde de hoje, a assessoria de imprensa da PC informou que um ribeirinho estava prestando esclarecimentos na delegacia              Um ribeirinho prestou esclarecimentos na delegacia de Iranduba
Foto: Jair Araújo

Conforme o capitão Fabrício Vieira, comandante da 8 ª Companhia Interativa da Polícia MIlitar (CIPM), por volta das 18h30 de ontem, a polícia foi informada que dois policiais foram mortos em um confronto com traficantes. Segundo ele, ainda no local, o ribeirinho Raimundo Nonato de Souza,51, sobreviveu ao tiroteio.

“A guarnição apreendeu 145 quilos de entorpecente, tipo maconha. Todos apresentados na delegacia para procedimentos”, disse o capitão da PM.

O delegado informou que o material foi levado para Manaus, onde passará por perícia no Departamento de Polícia Técnico Científico (DPTC). Duas identidades de colombianos também foram apreendidas pela polícia.

Na tarde de hoje, a assessoria de imprensa da PC informou que um ribeirinho estava prestando esclarecimentos na delegacia.

O velório do PM acontece no bairro Lírio do Vale, em Manaus, e o do investigador da PC será na CMM de Iranduba.