Em Manaus, Greenpeace lança campanha em defesa do rio Tapajós

Com informações de assessoria / Diário do Amazonas


Manaus – O Greenpeace retornou a Manaus para mais uma campanha ambiental. Desta vez, em defesa da bacia do rio Tapajós, para onde está prevista a construção de megaprojetos hidrelétricos e outros de infraestrutura pelo Governo Federal.

A ação, intitulada ‘Tapajós Livre’, acontece na área externa do Amazonas Shopping até o dia 14 de novembro, trazendo como novidade a utilização da realidade virtual para chamar a atenção dos visitantes aos impactos irreversíveis na biodiversidade e no modo de vida dos povos da região.

Segundo o Greenpeace, ao todo, estão previstas 43 grandes hidrelétricas para ser construídas na bacia do Tapajós, um dos últimos grandes rios da Amazônia a correr livremente. Entre os impactos já observados estão o aumento do desmatamento, a redução da biodiversidade, os deslocamentos forçados de comunidades indígenas e tradicionais, além da abertura de estradas ilegais e a invasão de terras indígenas por mineradores, caçadores e madeireiros criminosos.

Outras consequências negativas, conforme a organização global, são o aumento populacional urbano sem planejamento, o tráfico de drogas, a prostituição e a escalada da violência.

“O tão anunciado ‘progresso’, principal argumento usado para convencer as comunidades locais a aceitarem estes projetos, não foi visto em nenhum dos projetos de grandes hidrelétricas implantados na Amazônia”, diz a representante do Greenpeace, Cristiane Mazzetti.

Em um estande montado na área externa do Amazonas Shopping, próximo à passarela da Darcy Vargas, o Greenpeace utilizará a tecnologia de realidade virtual para sensibilizar o público através da imersão em 360º na floresta amazônica, criando assim uma relação de contato inédita entre o público da cidade e os problemas ambientais e sociais que estão em jogo no coração da Amazônia.

O objetivo do evento é mobilizar a sociedade civil, captar recursos por meio de doações on-line via tablet e engajar mais pessoas para impedir a destruição deste ecossistema único e frágil. Por isso, é necessário combater a construção do complexo hidrelétrico do Tapajós e exigir mais investimentos em fontes renováveis e verdadeiramente limpas de energia, como a solar.

Está é a segunda vez que o Amazonas Shopping abre espaço para atuação do Greenpeace. Em 2015, a organização realizou junto aos clientes do centro comercial a campanha ‘Desmatamento Zero’, contra o corte de florestas nativas no Brasil.

Mais informações sobre a campanha de 2016 podem ser obtidas no site www.tapajos.org.