Emprego no interior é só 5% das vagas do Amazonas

Da Redação/redacao@diarioam.com.br
Manaus – O mercado de trabalho no Amazonas continua concentrado na capital. De janeiro a outubro, apenas cinco em cada cem empregos gerados no Estado foram para os municípios do interior. Manaus ficou com 95% dos 111,6 mil postos de trabalho abertos com carteira assinada, apontam os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Entre os municípios com melhores saldos de emprego, que é a diferença entre as contratações e as demissões,  estão Boca do Acre (a mil quilômetros a sudoeste de Manaus), que depende da indústria e do comércio, com geração de 101 vagas, seguido por Tabatinga (a 1.108 quilômetros a oeste da capital) que gerou apenas  62 vagas a mais.  A geração de empregos no município depende do comércio e de serviços. Em São Gabriel da Cachoeira (a 852 km a noroeste) foram 30 postos criados, vindos do comércio e de serviços.

Na outra ponta, com os piores desempenho, estão os municípios de Iranduba (a 27 quilômetros a sudoeste de Manaus), que encerrou esse ano 340 postos de trabalho formais, seguido por Manacapuru (a 68 km a oeste), com 219 postos a menos, e Itacoatiara (a 176 km a leste), com 164 vagas fechadas.

O mercado de trabalho no interior monitorado pelo Caged  mostra que  historicamente os programas de fortalecimento da economia nos municípios não conseguiram uma alternativa de renda  e emprego sustentável para a  população desses locais.

Em Iranduba, por exemplo, o principal  empregador é a indústria. No ano passado, este setor  demitiu 125 trabalhadores. Neste ano, já foram cortados mais 237 postos, até outubro, indicam os dados do Ministério do Trabalho.

Já em Manacapuru, a indústria e o comércio são os principais geradores de emprego. Neste ano, encerraram 166 e 82 postos de trabalho, respectivamente.

Em Itacoatiara, a agropecuária e o comércio foram os setores que puxaram o saldo de empregos  para baixo com a perda de 126 e 113 vagas. Já o setor industrial  gerou 145 vagas, único setor com resultado positivo no ano, naquele município, aponta o Caged.